Maioria considera péssima ou ruim a gestão de Juliano Duarte

Publicidade
Arte: Biguá News

Pesquisa que ouviu 500 leitores de Biguá News entre os dias 24 e 27 de dezembro revela que a maioria dos gancheiros desaprova a atual gestão do prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Duarte Campos (PSD). A soma daqueles que consideram a administração “péssima” (39%) ou “ruim” (19%) chega a 58%. Já a conta dos que avaliam como “ótimo” (13%) ou “bom” (11%) é de 24%. Outros 18% disseram achar “regular”. Na avaliação por área, o Planejamento foi o mais mal avaliado, com 87% (59% de péssimo + 28% de ruim). A que teve a melhor aprovação foi a Educação, com 27% (16% de ótimo e 11% de bom). 

A enquete online é feita através de ferramenta do Google, que impede um usuário de votar mais de uma vez. Apesar de não ter base científica, pois não tem trabalho de campo com entrevistadores, esse tipo de levantamento na internet permite saber como nossos seguidores estão analisando os gestores municipais da Comarca de Biguaçu. Nos próximos dias ouviremos também o que pensam aqueles de Antônio Carlos e Biguaçu sobre seus prefeitos.

Continua após a publicidade

Moradores de todos os bairros de Governador responderam ao questionário, com a maior parte sendo de Palmas do Arvoredo (24,8%), seguido da Fazenda da Armação (18,8%) e Canto dos ganchos (11,9%). 

Na faixa etária, o maior volume de respostas foi daqueles que têm entre 31 e 45 anos (40%), depois os de 15 aos 30 anos (39%), 46 aos 60 anos (15%) e 61 anos ou mais (6%). A maioria das participações foi das mulheres, com 54%, ao tempo em que os homens contribuíram com 46% das opiniões.

Com relação ao grau de instrução, a maior fatia de respostas veio dos que possuem Ensino Médio (36%), logo à frente dos de nível Superior (34%), Especialização (23%) e Ensino Fundamental (7%). 

A faixa de renda que mais respondeu foi a dos que ganham entre R$ 2 mil a R$ 4 mil (30%), seguido dos de R$ 1 mil a R$ 2 mil (20%), R$ 1 mil ou menos (15%), R$ 6 mil a R$ 10 mil (14%), R$ 4 mil a R$ 6 mil (12%) e acida de R$ 10 mil (9%).

Publicidade