Vendaval afeta mais de 180 casas na Grande Florianópolis

Publicidade

O Governo do Estado informa que desde as 4h desde domingo (4), as equipes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Celesc e Floram estão mobilizadas atendendo as diversas ocorrências da região da Grande Florianópolis, em função da chuva que atingiu a região litorânea e o vendaval registrado na madrugada. Levantamento preliminar aponta que mais de 200 casas na região metropolitana da capital sofreram algum tipo de dano.

O secretário da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, disse que o volume de chuva foi intenso nas últimas 24h. Em Garopaba, as chuvas superaram 220 milímetros (mm) e Florianópolis 166 mm. “Foi uma chuva forte, porém distribuída, o que não trouxe muitos problemas. O que mais causou problema foi o vendaval desta madrugada. Com isso, tivemos cerca de 759 pessoas afetadas diretamente, estamos com 102 desalojados no Estado. Desde a madrugada o Estado se organiza para restabelecer os acessos. Estamos todos mobilizados”, relatou.

Continua após a publicidade

Levantamento:

Florianópolis: 143 residências atingidas. 572 pessoas afetadas diretamente, sendo que 75 estão desalojadas em casas de parentes ou amigos. Diversas ruas bloqueadas por queda de árvores.  Equipamentos públicos afetados

São José: Um deslizamentos atingindo 1 residência com 3 desalojados. Vários pontos de alagamento durante a noite e madrugada. Equipamentos públicos afetados

Palhoça: Vários pontos de alagamento durante a noite e madrugada. Cerca 40 residências afetadas pelo vendaval.

Biguaçu: sem relatos

São Ludgero

Em São Ludgero, no Sul do Estado, as chuvas, e a força das águas do Rio Braço do Norte causaram desmoronamento de terra. No local onde ocorre a construção da nova ponte, o desmoronamento atingiu o asfalto da Rua Henrique Hobold, no Bairro Beira Rio. O Corpo de Bombeiros, juntamente com a Defesa Civil e Polícia Militar, já isolaram o local e retiraram os moradores das casas com risco de serem atingidas.  Conforme a Defesa Civil, seis casas foram isoladas na madrugada, 24 pessoas desalojadas. Até o final da manhã deste domingo a erosão não evoluiu, porém, as casas continuam isoladas.

Celesc

O presidente da Celesc, Cleverson Siewert  informou que os fortes ventos afetaram a atuação do sistema elétrico da companhia. Conforme ele, no início da manhã a Celesc chegou a ter 260 mil unidades consumidoras desligadas, 35 dos cerca de 130 alimentadores que são os grandes canais de escoamento de energia da agência de Florianópolis também foram desligados.

“Isso significa que 30% das nossas unidades consumidoras estavam sem energia. Desde cedo começamos trabalhar, juntamos nossas equipes. Já conseguimos recompor metade das unidades consumidoras. Estamos com cerca de 30 equipes trabalhando para o mais breve possível restabelecer a normalidade do sistema elétrico”, explicou.

Bombeiro Militar

A Força-Tarefa (FT) do CBMSC concentra suas ações em Florianópolis. Estão em campo desde a madrugada  bombeiros de  Florianópolis,  São José e Balneário Camboriú.  Além do reforço dos  Bombeiros Miltiares e Comunitários, o 1º Batalhão (Florianópolis) conta com o apoio do Exército Brasileiro e Floram.

De acordo com o Comandante do 1º Batalhão, Tenente Coronel Helton se Souza Zeferino, a maior parte das ocorrência atendidas até 14h  (119 até o momento) são de desobstrução de vias  em função de queda de árvores. Os principais bairros atendidos estão do Sul da Ilha e na parte Central de Florianópolis.

Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa

Publicidade