Ministério disponibiliza repelentes às gestantes do Programa Bolsa Família

Publicidade

O Ministério da Saúde enviou aos municípios repelentes destinados às gestantes cadastradas no programa Bolsa Família para o combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor de doenças como a Dengue, Chikungunya e Zika vírus. A distribuição começa na próxima terça-feira (18) na sede da Secretaria Municipal de Saúde.

Neste primeiro momento será feito um cadastro dessas gestantes e os produtos serão distribuídos na sede da Secretaria Municipal de Saúde. Posteriormente esses repelentes serão entregues nas Unidades Básicas de Saúde, vinculados à realização do pré-natal.

Continua após a publicidade

Para facilitar o acesso das beneficiárias foi criada uma programação de atendimento de acordo com o último Número de Identificação Social (NIS), impresso no Cartão do Bolsa Família do titular do benefício. Desta forma, as gestantes beneficiárias do bolsa família devem seguir o roteiro abaixo na data e horário descrito, conforme último número do NIS:

NIS do titular do benefício
Data
Com final 0, 1, 2 ou 3

18/04 (terça-feira) das 8h ás 11h e das 14h às 17h.
Com final 4, 5 ou 6

19/04 (quarta-feira) das 8h ás 11h e das 14h às 17h.
Com final 7, 8, ou 9

20/04 (quinta-feira) das 8h ás 11h e das 14h às 17h.
“Os repelentes são eficazes para reforçar a proteção contra o mosquito Aedes aegypti e devem ser usados principalmente nas mulheres durante a gravidez, já que, além da Dengue e da Chikungunya, o mosquito também transmite o vírus Zika que pode causar microcefalia nos bebês”, explica o secretário Municipal de Saúde, Heron Felício Pereira.

As gestantes obrigatoriamente deverão portar um documento oficial de identificação com foto, CPF, cartão do titular do Bolsa Família e comprovante de residência. No entanto, somente as gestantes que estão em dia com o cadastro do Programa Bolsa Família terão direito aos repelentes.

“É essencial que as gestantes adotem também outras medidas que possam evitar o contato com o Aedes, como manter portas e janelas fechadas ou com telas protetoras e usar calça e camisa de manga comprida”, destaca o prefeito Ramon Wollinger

A coordenadora de Programas de Saúde de Biguaçu, Francielly Andrade, ressalta que esse repelente também não deve ser usado em crianças menores de 12 anos. ”É importante que as gestantes passem o repelente nas áreas expostas durante todo o período da gestação. Ele tem uma duração de até 10 horas e sua reposição deve ser feita diariamente”, completa.

Publicidade