Município de Palhoça está em sexto lugar no ranking de novos negócios em Santa Catarina

Publicidade

O município de Palhoça aparece em sexto lugar no ranking estadual dos municípios com melhor saldo entre novos negócios registrados e empresas que fecharam as portas nos primeiros seis meses de 2021. O levantamento foi realizado com base em dados do Registro Mercantil da Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc).

Em todo o território catarinense, o estudo apontou um crescimento de 47,63% no número de empresas registradas no primeiro semestre deste ano, em comparação com os números computados no mesmo período no ano passado. De janeiro a junho de 2021, Santa Catarina registrou a constituição de 107.268 novos negócios, contra 32.431 baixas; o saldo é positivo: 74.837.

Continua após a publicidade

Em Palhoça, foram registradas 3.947 empresas entre janeiro e junho de 2021, e 1.195 foram extintas. Ou seja, temos 2.752 empreendimentos a mais do que tínhamos no final do ano passado, gerando emprego e renda para os palhocenses. É o sexto melhor desempenho no estado, atrás apenas de potências como Florianópolis, Joinville, Blumenau e Itajaí, e com números muito parecidos com os da vizinha São José.

Palhoça (Foto: Divulgação)

Os números refletem o desenvolvimento da economia catarinense e também o bom desempenho da economia de Palhoça, mesmo diante de um cenário impactado pela pandemia. “Nós temos feito um esforço enorme para oferecer aos empreendedores condições favoráveis para que eles possam estabelecer seus negócios e manter suas empresas em atividade em território palhocense. Os projetos que nós desenhamos dentro do programa Palhoça Mais Oportunidade estão em plena atividade, e a tendência é a de seguirmos em crescimento”, afirma o prefeito de Palhoça, Eduardo Freccia.

Para a secretária de Desenvolvimento Econômico, Anna Paula Heiderscheidt, Palhoça construiu um ecossistema empreendedor, que atrai investimentos. “Nós criamos um ecossistema de negócios que é amplamente favorável ao empreendedorismo. Nosso pacote de leis e os programas que nós estamos desenvolvendo acabam atraindo os investidores, porque eles percebem, aqui, um suporte muito importante para o desenvolvimento da sua empresa”, avalia a secretária.

Outro motivo pelo qual Palhoça se destaca é a facilidade para a abertura de uma empresa no município. O tempo médio necessário para o registro é um dos menores do estado. E vai ficar ainda mais rápido. “Estamos fazendo um estudo, um levantamento, juntamente com o Sebrae, atualizando a legislação, criando o Projeto de Lei da Liberdade Econômica, para chegarmos próximos à realidade de abrirmos uma empresa em um dia”, projeta o secretário da Fazenda de Palhoça, Pedro Paulo dos Passos Freitas (Pepê).

O secretário também informa que o processo de abertura de uma empresa é integrado com a Junta Comercial, e tão logo o registro é homologado pela Junta, é concedido um alvará provisório de 30 dias, justamente para dar ao empreendedor o tempo necessário para encaminhar a documentação restante com tranquilidade.

Para os microempreendedores individuais (MEIs), o processo é ainda mais facilitado. Os MEIs conseguem fazer todo o procedimento dentro da Sala do Empreendedor, que funciona dentro da sede administrativa municipal e oferece maior celeridade, facilitando os trâmites necessários ao setor empresarial no âmbito municipal, desde a abertura da empresa até o acesso à nota fiscal. “Além disso, oferecemos capacitação periódica, com cursos de Marketing, Educação Financeira, etc. Tudo em parceria com o Sebrae”, destaca Pepê.

Publicidade