Nova fase do Se Liga na Rede começa em 90 dias em Florianópolis

Publicidade

Prestigiada por representantes da administração municipal, de entidades de classe e autoridades, a assinatura do convênio entre Prefeitura de Florianópolis e Casan para viabilizar a segunda etapa do Programa Floripa Se Liga na Rede deixou evidente o grau de importância alcançado pelas questões relacionadas ao saneamento básico na capital.

O programa identifica e elimina ligações irregulares em instalações sanitárias, contribui para a preservação de recursos hídricos e melhora a balneabilidade local. No atual momento, a previsão de investimentos é de R$ 1,2 milhão por ano, ao longo de quatro anos, com a proposta de promover inspeções nas regiões central e continental atendidas por rede de esgoto.

Continua após a publicidade

Como foi lembrado pelo secretario de Habitação, Domingos Zancanaro, vai atuar em defesa dos ativos ambientais da Capital, apontados pelo estudo realizado pela Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES), como um dos grandes tesouros que a cidade possui. “Certamente o Se Liga na Rede será um trabalho contínuo, ampliando a eficácia do atendimento da rede de esgoto, promovendo a conscientização da população e estabelecendo uma melhor cidade para todos nós”, disse o secretário.

Pelo convênio assinado pelo prefeito Cesar Souza, pelo presidente da Casan, Valter José Galina, e pelo secretário Domingos Zancanaro, os recursos começam a ser liberados dentro de 30 dias após a assinatura do contrato, e, com o lançamento do processo licitatório para a contratação da empresa que ficará responsável pelas inspeções, a atuação efetiva das equipes deve começar em aproximadamente 90 dias.

De acordo com Valter José Galina, a eficácia da parceria desenvolvida ao longo da primeira etapa do programa deve se repetir nesta segunda fase, contribuindo com a conquista de bons resultados em um momento, segundo ele, “crucial para a qualidade de vida de Florianópolis”.  Nesse sentido, Galina lembrou que embora a Santa Catarina seja um dos estados com melhor qualidade de vida no Brasil, em termos de saneamento básico ocupa apenas o 17º lugar.

“Os investimentos realizados pela Casan, tanto nas áreas de abastecimento de água, quanto na ampliação das áreas atendidas por rede de esgoto, vão ajudar a mudar essa situação, e tenho convicção em afirmar que no próximo ano a administração municipal estará comemorando 100% de cobertura do Estreito por rede pública de esgoto”, afirmou Galina.

O prefeito Cesar Souza Junior parabenizou as equipes envolvidas com a execução do programa, destacou o pioneirismo da iniciativa, e chamou atenção para o grande índice de regularizações promovidas durante a primeira etapa do programa.  “Isso mostra a disposição dos florianopolitanos em fazer o que é certo e cuidar da nossa cidade. Tenho certeza de que o nível de conscientização das pessoas está crescendo, e os recursos deste Programa correspondem às verbas mais bem investidas no sentido de promover a melhoria da qualidade ambiental da Capital, e o que vemos aqui é muito expressivo”, apontou o prefeito.

Ele chamou a atenção para a necessidade de encontrar convergências de iniciativas em favor da cidade. “É o momento de deixar as obras que vão ao encontro das necessidades da cidade acontecerem”, frisou Cesar Souza Junior, em referência à liberação das obras das estações de tratamento de esgoto no Norte da Ilha e no Rio Tavares.

Ampliação das parcerias

O grande desafio agora, de acordo com o prefeito, é buscar condições de viabilizar programas de crédito para auxiliar os cidadãos que necessitam de financiamento para regularizar as instalações com inadequações. Segundo o secretário Domingos Zancanaro, já existem estudos iniciais para buscar apoio para alcançar esse propósito.

“Já estamos em negociação com a Caixa Econômica Federal, que seria o parceiro ideal nessa iniciativa, e as perspectivas são muito promissoras”, avaliou Zancanaro.

A informação é da assessoria.

Publicidade