Novela da Globo faz ‘homenagem’ às malas de dinheiro de Geddel Vieira Lima

Publicidade

Maria Carolina Maia/Veja

Não é só no sotaque e nas imagens de pontos turísticos que Segundo Sol traz referências de Salvador, cidade onde é ambientada. No capítulo desta segunda-feira, a novela das 9 da Globo fez uma “homenagem” a Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Michel Temer preso preventivamente na Papuda por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução de investigação. No ano passado, a Polícia Federal localizou 51 milhões de reais em espécie em malas escondidas por Geddel em um apartamento em Salvador. O ex-ministro de Temer alegou que a quantia era uma “simples guarda de valores”.

Continua após a publicidade

No episódio desta segunda, outro baiano bem de vida, e implicado em irregularidades, o empreiteiro Severo (Odilon Wagner), saiu de sua casa sozinho para apanhar algumas malas de dinheiro que tem escondidas no depósito da sua construtora. Severo está com bens bloqueado depois que seu filho e braço-direito nos negócios, Edgar (Caco Ciocler), foi flagrado tentando subornar um deputado para obter licença para um empreendimento antes do tempo devido. Para piorar, um prédio erguido pela Construtora Athayde começou a desmoronar, matando um morador e obrigando os outros a abandonar o edifício, que corre o risco de ir ao chão.

© TV Globo Severo (Odilon Wagner) diante da reserva de dinheiro que guarda em Salvador

O montante guardado por Severo – que lembrou também o dinheiro escondido por Walter White (Bryan Craston) em um depósito em Breaking Bad – explica por que, apesar da difícil situação que enfrenta, o empresário não mostrou desespero e abatimento e seguiu degustando seu uisquinho, numa boa. Já Edgar e a mulher, Karen (Maria Luisa Mendonça), estão à beira de um ataque de nervos, com cartão de crédito cortado e vergonha do vexame.

Publicidade