Operação resulta em indiciamento de policial civil, advogado e empresário

Publicidade

A Polícia Civil do Estado de Santa Catarina (PCSC) informa que uma recente operação deflagrada pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), nas Comarcas de Balneário Camboriú e de Rio do Sul, resultou no indiciamento de um policial civil, de um advogado e de um empresário pelos crimes de violação de sigilo funcional, associação criminosa e concussão. Para tanto esclarecemos que:

1 – Estava em tramitação na Deic dois inquéritos policiais para apurar os crimes de extorsão, concussão e associação criminosa ocorridos nas comarcas de Balneário Camboriú e Rio do Sul;

Continua após a publicidade

2 – Por parte da Deic, num primeiro momento, houve a formulação de representações ao Juiz de Direito da Comarca de Balneário Camboriú para expedição de mandado de prisão preventiva e de mandados de busca e apreensão;

3 – Com o resultado da prisão e das buscas, além da conclusão do inquérito policial, procederam-se novas representações relacionadas a outras prisões preventivas, dentre as quais: a de um policial civil lotado e em exercício na própria Deic;

4 – O Poder Judiciário, com manifestação favorável do Ministério Público (MPSC), atendeu ao pedido da Deic, viabilizando, assim, a conclusão da primeira parte das investigações relacionadas à Comarca de Balneário Camboriú;

5 – A investigação relacionada à Comarca de Rio do Sul ainda encontra-se em tramitação, razão pela qual não se pode dar mais detalhes sobre o andamento do caso, que já conta com diversas diligências, cumprimento de buscas e outras prisões;

6 – Até o momento, estão presos um policial civil, que se encontra detido nas dependências da Deic, em Florianópolis, e um advogado que está recolhido na unidade prisional de Itajaí. As investigações também indicam o envolvimento de um empresário, que se encontra foragido;

7 – O policial civil preso e envolvido nos fatos responderá, além de criminalmente, processo administrativo na Corregedoria Geral da Polícia Civil (CORPC);

8 – Por fim, a Polícia Civil de Santa Catarina reforça à sociedade catarinense que qualquer desvio de conduta dos seus integrantes será sempre rigorosamente apurado e o caso devidamente levado ao conhecimento do Poder Judiciário para a completa responsabilização criminal dos envolvidos.

>> A portaria de afastamento 

Delegado-Geral da Polícia Civil
Artur Nitz

Publicidade