Pecuarista ganhará mais com abate de novilho precoce em Santa Catarina

Publicidade

A partir de agora o pecuarista catarinense que criar gado para abate de novilhos precoce e ‘superprecoce’ passará a ganhar, do frigorífico, parte do valor do ICMS que seria repassado ao governo. Essa mudança faz parte do Programa de Apoio à Criação de Gado para Abate Precoce, da Secretaria da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina.

Conforme lei sancionada pelo governador Raimundo Colombo, serão considerados novilhos precoces os bovinos e bubalinos abatidos dentro da faixa etária de até 30 meses, considerando o Projeto de Identificação de Bovinos e Bubalinos e a idade cronológica dentária avaliada no abatedouro, com pesos mínimos de 240 kg de carcaça para machos e 210 kg para fêmeas.

Continua após a publicidade

Também se encaixam os animais abatidos dentro da faixa etária de até 20 meses de idade, considerados superprecoces, e com pesos mínimos de 210 kg de carcaça para machos e 180 kg para fêmeas.

O secretário da Agricultura, Moacir Sopelsa, explica que as mudanças atendem às demandas do setor produtivo e visam incentivar ainda mais a pecuária de corte no Estado. Nos últimos cinco anos, os investimentos para o desenvolvimento da pecuária catarinense, de corte e de leite, ultrapassam os R$ 356 milhões. Deste total, quase R$ 180 milhões são de recursos do Governo do Estado, para programas que incentivam o melhoramento de pastagens, investimento nas propriedades rurais e a melhoria da genética animal.

As informações são da assessoria.

Publicidade