PIB de Santa Catarina aponta queda de 5,2%

Publicidade

A atualização da estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) catarinense indica uma queda de 5,2% entre julho de 2015 e julho de 2016. No período, os serviços encolheram 6,2%; a indústria, 3,5%; e a agropecuária, 3,1%. Os dados constam da última edição do Boletim Indicadores Econômico-Fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda. A publicação confirma que a crise chegou mais tarde em Santa Catarina, mas veio com bastante intensidade.

No Brasil, na mesma comparação, a queda é de 5,6%, segundo dados do Banco Central (IBC-Br).”Por isso, precisamos tomar medidas para segurar ao máximo as despesas, já que a arrecadação está em queda livre”, destaca o secretário Antonio Gavazzoni.

Continua após a publicidade

Os indicadores de produção da indústria catarinense na passagem de junho para julho colocam Santa Catarina como a segunda maior queda entre 14 estados pesquisados. O comércio catarinense vem também perdendo posições nos últimos meses com uma retração maior que a da média nacional, de 10,1%.  O decréscimo na produção e nas vendas tem refletido fortemente na arrecadação de ICMS.

Menor desemprego, mas com menos vagas

O economista Paulo Zoldan, consultor da Diretoria de Planejamento Orçamentário da Fazenda, chama a atenção para a elevação na taxa de desemprego em Santa Catarina. O índice do segundo trimestre em comparação com os três primeiros meses do ano cresceu mais do que a média nacional. Ainda assim, seguimos com a menor taxa do País. “Com o desemprego em alta, a renda caindo, o crédito mais restrito, seguramente o consumo da famílias seguirá retraído por mais algum tempo”, afirma Zoldan, responsável pelo Boletim Indicadores Econômico-Fiscais SEF.

queda-pib-sc-2016

Outros destaques do boletim:

– Na revisão do PIB de 2015, a retração da economia do Estado ampliou a queda (-4,5%, ante os 4,1% estimados anteriormente) e chegou a superar a do Brasil (-3,8%).

– Nos sete primeiros meses do ano, o Índice de Quantum da produção agrícola caiu 5,9%, enquanto o de preços cresceu 31,8%, comparando com os dados da safra anterior.

– Na mesma comparação, o Índice de Quantum da produção pecuária cresceu 0,9% e de preços 11,3%.

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Fazenda

Publicidade