Plano catarinense de desenvolvimento para 2030 é discutido na capital

Publicidade

Construir uma visão de futuro de Santa Catarina e definir indicadores, metas e estratégias de ação estão entre os objetivos do Plano de Desenvolvimento de SC 2030 apresentado nesta quinta-feira, 9, pela Secretaria de Planejamento, em Florianópolis. O trabalho será elaborado no período de um ano por professores da Universidade Federal de Santa Catarina de forma participativa, envolvendo órgãos da administração pública direta e indireta e da sociedade civil, com apoio da Fapesc.

“Temos muito trabalho pela frente e uma missão também de fazer com que as próximas reuniões sejam, não só repletas de número de pessoas, mas cheias de qualidade e de ideias. Se a gente conseguir, dentro do que será colocado pelos professores, fazer com que as nossas entidades participem e a gente traga da base as necessidades, nós vamos dar um grande passo porque planejamento se faz com a participação das pessoas”, destacou o secretário adjunto da Secretaria de Estado do Planejamento Fabio Botelho.

Continua após a publicidade

O documento tem como propósito agregar esforços e resultados alcançados, como também aumentar a sinergia e a efetividade dos programas já realizados e em andamento pelo governo estadual. Será um instrumento que vai auxiliar a ação governamental em Santa Catarina no período de 2017 a 2030 com o suporte de indicadores, metas, objetivos e estratégias definidos em todas as áreas de atuação do Executivo.

O plano será construído a partir das seguintes questões: onde estamos, aonde queremos chegar, como vamos chegar lá e quais instrumentos de governança vamos utilizar. Abordará as dimensões Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Social, Infraestrutura e Meio Ambiente e Gestão Pública, além do recorte de oito mesorregiões – Grande Florianópolis, Litoral Norte, Litoral Sul, Alto Vale do Itajaí, Planalto Serrano, Planalto Norte, Meio-Oeste e Oeste.

“O plano de desenvolvimento de Santa Catarina 2030 avança em diversos aspectos: primeiro a criação de indicadores a serem alcançados e acompanhados de forma sistemática. O segundo aspecto ocorre em nível regional, pois faremos workshops em mesorregiões (são oito no total). Outro aspecto fundamental é o caráter participativo das setoriais, dos especialistas por área e da participação regional na sua elaboração”, ressaltou o professor da UFSC Silvio Cario.

A próxima etapa do trabalho é a realização de um workshop a fim de construir uma visão de futuro para Santa Catarina até 2030 que orientará o Plano de Desenvolvimento.

Participaram da reunião representantes das secretarias de Estado do Planejamento, Administração, Fazenda, Saúde, Educação, Agricultura e Pesca, do Turismo, Cultura e Esporte, da Assistência Social, Trabalho e Habitação e Desenvolvimento Econômico Sustentável, além de Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiros, Instituto Geral de Perícias, Detran, Casan, Celesc e Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Florianópolis.
Rosália Dors Pessato
Assessoria de Comunicação

Publicidade