PM e Cidasc fazem ação para inibir “farra do boi”

Publicidade
Policiais e fiscais da Cidasc fizeram averiguações (Foto: Assessoria)

O 24º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Biguaçu, em uma operação conjunta com a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), realizou nesta quinta-feira (22) uma operação de fiscalização no município de Governador Celso Ramos, verificando a procedência do gado para inibir a prática da “farra do boi”.

O ritual, que é típico do litoral de Santa Catarina, consiste em soltar o boi em áreas de uso comum e fazer o animal correr atrás dos participantes até ele cansar. Após a “brincadeira”, o boi é devolvido aos pastos ou, em alguns casos, é sacrificado e a carne é dividida entre as pessoas que ajudaram a custear a compra do animal. A prática é ilegal no Brasil desde 1997, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu como sendo criminosa tal atividade, considerando que a Lei de Crimes Ambientais tipifica a conduta de praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais.

Continua após a publicidade

Além da crueldade com o animal, a farra do boi também provoca desobediência contra autoridades policiais e desordem no local onde está sendo realizada, de forma que outras operações ainda serão feitas, e a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) afirma que vai atuar de forma repressiva e preventiva.

O 24º BPM e a Cidasc verificaram a origem do gado no município, visto que carne possivelmente contaminada pode prejudicar sobremaneira a economia de Santa Catarina, único estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação.

Publicidade