Polícia fecha ‘rinha de galo’ em Antônio Carlos e autua 30 pessoas

Publicidade

A Polícia Militar Ambiental (PMA) de Florianópolis, com o apoio de uma guarnição da PMA de Tijucas, flagrou, no sábado (5), 30 homens realizando apostas em uma “rinha de galo”, em uma chácara na localidade Canudos, em Antônio Carlos. O caso foi descoberto após uma denúncia que relatava maus tratos aos galos.  Também foram descobertos 106 pássaros presos em gaiolas. A dona do local levou multa de R$ 53 mil.

De acordo com uma fonte na PMA, entre os autuados havia moradores de Florianópolis, São José, Palhoça, Tijucas, Itajaí, e até do Rio Grande do Sul. A maioria estava no local para realizar somente apostas, não tendo animais próprios. Todos foram autuados com base no artigo 29 do Decreto Federal nº 6.514/08 (Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos), e receberão multas de R$ 500 a R$ 3 mil. Ainda responderão criminalmente, cuja a pena pode ser de três meses a um ano de detenção, e multa também.

Continua após a publicidade

Foram apreendidos 30 galos ingleses. O responsável pelo evento assumiu a responsabilidade por 19 galos, e os demais pertencem a três infratores flagrados no local. Devido a grande quantidade de pessoas no local, os policiais permaneceram na ocorrência – identificando as pessoas e registrando os flagrantes – entre as 10h até por volta das 18h. Eles descobriram que a chácara tinha, inclusive, um sistema de vigilância, com quatro câmeras.

Também foram autuados pela prática de rinha de galo, a proprietária do imóvel e o responsável por promover o evento.

Pássaros em cativeiro:

A dona da chácara também matinha 106 pássaros silvestres das mais variadas espécimes em gaiolas, sem comprovação de origem, sendo: trinca-ferro, coleira, canário da terra, sabia, curió, ferreirinha, cardeal, graúna, bicudo, azulão, tangará.  A proprietária foi autuada com base no Art. 24 do Decreto Federal nº 6.514/08, com multa de R$ 53 mil. Ainda responderá criminalmente, cuja a pena pode ser de seis meses a um ano de detenção, e multa também.

 

Publicidade