Polícia fecha mais uma ‘casa de massagem’ em Florianópolis; dez garotas estavam no local

Publicidade
Perícia constatou fraudes
Perícia constatou fraudes

A Polícia Civil fechou mais uma “casa de estética e massagem” com fortes suspeitas de ser uma casa de prostituição, no centro da Capital, nesta segunda-feira à tarde. No interior do local, os policiais encontraram até equipamentos de finalidade para massagem, mas também diversas evidencias de atividade criminosa. Dez garotas, dois clientes, a dona da “clínica” e uma secretária foram conduzidas à 1ª Delegacia de Polícia da Capital para prestarem depoimento.

A ação policial faz parte da “Operação Red Light”, cujo foco é frustrar a exploração sexual presente em estabelecimentos de fachada. Essa não foi a única ação da Gerência de Jogos e Diversões na tarde de ontem, em Florianópolis. Outros apartamentos do Edifício Canadá, na Marechal Guilherme, Centro da cidade, também foram vistoriados pelos policiais. Nos quartos, indícios de atividade sexual e produtos foram encontrados, como camisinhas, gel, aparelhos de estímulo, entre outros.

Continua após a publicidade

Na semana passada, a especializada já tinha fechado uma outra casa que funcionava na cidade como “sauna” – um tipo de dissimulação que a Gerência está cada vez mais procurando frear.

Para a delegada de Polícia Civil Michele Alves Correa, que coordena a divisão de Jogos e Diversões, o que mais chamou atenção ao entrar na clínica foi as garotas todas de jaleco profissional, mas seminuas. O local também possuía recepção, ar-condicionado, sala de espera, banheiros para os clientes e vários quartos. No momento da abordagem, duas pessoas foram flagradas usando os serviços.

Publicidade