Presa em Florianópolis quadrilha que enganava aposentados

Publicidade

A Polícia Civil  informou, no final da tarde de hoje (11), que prendeu em flagrante cinco homens e uma mulher provenientes de São Paulo, aplicando golpes em Florianópolis. A quadrilha se passava por funcionários do setor de segurança de instituições bancárias e enganava as vítimas, todas idosas, que acreditavam que seus cartões de crédito haviam sido clonados.

Conforme informações da Divisão de Defraudações (DD) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), os aposentados repassavam todos os seus dados pessoais, bancários e de cartões de crédito aos criminosos. Eles acreditavam que estavam conversando com funcionários de bancos, para evitar justamente que seus cartões fossem usados indevidamente.

Continua após a publicidade

De acordo com o delegado Raphael Werling de Oliveira, as fraudes aconteciam da seguinte maneira: sabedores de que Florianópolis é uma cidade onde residem muitas pessoas aposentadas, sobretudo servidores públicos, os criminosos paulistas vieram para a capital catarinense e alugaram um apartamento, de alto padrão, e montaram sua base.

“Eles obtinham telefones de vítimas em potencial, especialmente pessoas idosas, e ligavam para elas. Além disso, enganadas, as próprias vítimas entregavam a eles os cartões. De posse dos dados e dos cartões das vítimas, os agentes realizavam uma série de compras, especialmente televisões de LED, computadores e videogames”, explica.

Segundo o delegado, os presos estariam na cidade desde o dia 4 de outubro e foram presos na tarde de segunda-feira (10). “Após monitoramento, os policiais civis da DEIC conseguiram realizar a prisão dos integrantes da associação criminosa e recuperar todos os objetos adquiridos ilicitamente”, afirma.

Raphael disse ainda que o prejuízo às vítimas foi de cerca de R$ 100 mil. “Vale ressaltar também que conseguiremos reparar o prejuízo das vítimas. É importante que as pessoas tenham em mente que não devem fornecer a ninguém seus dados pessoais, muito menos de cartões de crédito e senhas por telefone”, concluiu.

As informações são da Polícia Civil.

Publicidade