Programa Terra Boa investe R$ 44 milhões em Santa Catarina no ano de 2015

Publicidade

*Ana Ceron

O Programa Terra Boa já é um velho conhecido dos agricultores catarinenses. Há mais de 20 anos, desde os tempos em que ainda se chamava Troca-Troca, vem beneficiando milhares de produtores rurais do estado. Em 2015 não foi diferente, com investimento recorde de R$ 44 milhões, o Programa atendeu mais de 70 mil agricultores ao longo do ano.

Continua após a publicidade

Com o Programa Terra Boa, a Secretaria da Agricultura e da Pesca apoia os produtores rurais na aquisição de sementes de milho, calcário, kits forrageiras e kit apicultura. Em 2015, o Programa subsidiou a compra de 310 mil toneladas de calcário, 220 mil sacas de sementes de milho, 3.500 kits forrageiras e 430 kits apicultura. O secretário Moacir Sopelsa destaca a importância do Programa para o meio rural catarinense. “Todo ano o Terra-Boa é aguardado pelos produtores, que esperam pelos benefícios do Programa para produzirem cada vez mais.

Foram investidos R$ 20 milhões na distribuição de calcário para 16 mil agricultores catarinenses. Cada família rural tem direito a uma cota de 30 toneladas de calcário que serão pagas no próximo ano com o produto da colheita. O calcário é fornecido dentro de duas modalidades: via cooperativas, que o produto é disponibilizado para ser retirado próximo à propriedade rural, ou direto das minas, sendo o produtor responsável pelo transporte do produto até sua propriedade. Em ambos os casos, o produtor paga pelo calcário o equivalente em sacos de milho consumo tipo II (60 kg), pelo preço de referência fixado no início de cada ano.

O Programa Terra Boa contempla ainda a distribuição de sementes de milho, incluindo sacos de milho de altíssima qualidade. Este ano foram disponibilizados 220 mil sacos de milho, beneficiando 53 mil produtores, num investimento de R$ 15 milhões.

Com o kit forrageira, que traz insumos para melhoria e implementação de um hectare de pastagem, o Programa atendeu agricultores com 3.500 kits, com recursos de R$ 7,5 milhões.

Cada kit é formado por mais de 80 produtos que são selecionados pelo agricultor e fornecidos a partir de um projeto técnico elaborado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri). O valor do kit forrageira é de R$ 2 mil que pode ser pago em duas parcelas anuais ou em uma parcela com desconto de 60% incidente sobre a segunda.

Este ano, dentro do Programa Terra Boa foram disponibilizados recursos para atender os produtores do Alto Vale do Itajaí que perderam boa parte de suas produções devido ao excesso de chuvas. Para os produtores de arroz, a Secretaria da Agricultura irá investir R$ 300 mil para subsidiar metade do valor do saco de semente de arroz e a outra metade será paga pelo agricultor com o que for produzido na próxima safra. Ao todo serão 11.340 sacas de 30 quilos e o limite é de 35 sacas por produtor.

Já os produtores de cebola terão apoio para aquisição de sacos de sementes de soja. A Secretaria irá destinar R$ 550 mil para subsidiar 30% do valor do saco de semente de soja e a outra parte será paga pelo agricultor com o que for produzido na próxima safra. Serão 14 mil sacas de 50 quilos e o limite é de oito sacas de soja por produtor. Além disso, a Secretaria aumentou as cotas do Programa Terra Boa em mais cinco sacos de semente de milho para os produtores que farão o replantio.

Publicidade