Raiva bovina ronda a região e Cidasc reforça necessidade de vacinar os animais

Publicidade

A Prefeitura de Antônio Carlos emitiu, nesta sexta-feira (21), novo comunicado reforçando aos pecuaristas locais a necessidade de vacinar os animais contra a raiva bovina. Neste mês de junho, houve o registro de um foco da doença no município e, com isso, a vacinação dos bichos torna-se obrigatória. Além disso, no mês de maio, foram confirmados casos em Biguaçu e Tijucas.

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) orienta que, após os produtores vacinarem seus animais, compareçam ao escritório da entidade para comprovar a vacinação através da apresentação da nota fiscal de compra. Médicos veterinários da Cidasc visitarão as propriedades rurais para orientar sobre a doença.

Continua após a publicidade

“Fique atento! Se seus animais apresentarem dificuldade em caminhar, salivação excessiva e paralisia, procure um médico veterinário ou notifique o escritório da Cidasc, na Prefeitura Municipal”, reforça o comunicado.

A Cidasc já havia recomendado, após os casos confirmados em Biguaçu e Tijucas, que todos os bovinos, suínos e equinos deveriam ser vacinados no meio rural de Tijucas, Canelinha, Biguaçu, São João Batista e Governador Celso Ramos.

A doença

A raiva é transmitida por animais domésticos, animais de produção e animais silvestres. A doença ataca o sistema nervoso central, causando mudança de comportamento, paralisia e, em alguns casos, agressividade.

O animal doente elimina o vírus da raiva pela saliva, por isso a recomendação é evitar colocar a mão na boca de cavalos ou bovinos que estejam com dificuldade de locomoção e/ou salivação intensa. Usualmente, a doença é transmitida através da mordida do animal infectado, mas o simples contato entre saliva e feridas abertas, mucosas e arranhões também propaga o vírus.

Caso os animais tenham marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, a Cidasc deve ser comunicada, mesmo que não estejam doentes.

Publicidade