Propostas: Ramon e Auri se destacam e Tuta decepciona

Publicidade

Os candidatos Ramon Wollinger (PSD) e Auri Bitencourt (PSOL) se destacaram na apresentação de propostas de governo, nesta quarta-feira à noite, durante evento da Acibig, CDL e OAB de Biguaçu, na Sociedade Recreativa 17 de Maio. Já o candidato Vilmar Astrogildo Tuta de Souza (PMDB) decepcionou e não conseguiu explanar com clareza suas propostas sobre desenvolvimento econômico, que era um dos temas principais elencados pela organização.

Por ordem de sorteio, o primeiro a falar sobre o assunto foi Tuta. Ele não falou de nenhum projeto específico para fomentar a economia municipal. Citou que quando foi prefeito, há oito anos, ele chegou a discutir a criação de uma área industrial para Biguaçu e que foi à Justiça para desapropriar um terreno, mas que isso não ocorreu.

Continua após a publicidade
Tuta (Foto: Biguá News)
Tuta (Foto: Biguá News)

O discurso dele também foi vago quando tentou explanar sobre a criação de empregos.

“Eu sempre digo que essa geração de emprego e esse dinheiro que a gente tem que buscar, ganhar o dinheiro municipal, nós temos que pensar nas nossas empresas, as empresas existentes no município. E também pensando nas nossas empresas, qual a oportunidade, qual o investimento que a Prefeitura está dando, que nós vamos dar para nossas empresas”, disse Tuta, em trecho de sua fala.

O prefeito Ramon iniciou lembrando que, quando Tuta exerceu o cargo de prefeito (sem citá-lo nominalmente), o município aceitou a troca de uma área onde estava instalada a empresa Cavan, por um terreno em região de morro. Wollinger disse que a área onde funcionava a Cavan, hoje é avaliada em R$ 7 milhões, e que, aquela que o município recebeu em troca, tem valor de R$ 100 mil. Ainda lembrou que na gestão do peemedebista, a Prefeitura pagava R$ 40 mil por mês de aluguel para uma empresa particular que não gerou imposto para o município.

ramon-foto-peterson-paulSobre geração de empregos, Ramon Wollinger ressaltou a instalação de mais de 2,8 mil empresas nos últimos sete anos e a chegada de empreendimentos do ramo logístico.

Mas essas empresas não vieram por acaso, elas vieram para uma cidade que não enche mais, pois tem macrodrenagem, que tem leis decentes de incentivo fiscal, tem a Casa do Empreendedor, o sistema Pró-Emprego e todo o arcabouço necessário para que as empresas venham para Biguaçu. E a cidade está crescendo através do nosso trabalho. O Centro de Distribuição do Koerich vai gerar 350 empregos, recebemos recentemente um grande supermercado e já vamos receber outro, vamos receber o Centro de Distribuição da Distlê, o Centro de Distribuição da Bistek, e vamos receber uma empresa alemã. Tudo fruto de trabalho e política tributária decente“, discursou o prefeito.

auri-debate-acibigBitencourt foi o terceiro a falar sobre desenvolvimento econômico e pontuou que, no programa de governo do PSOL, isso passa por fortalecer a micro e pequena empresa, que são as que mais geram emprego e renda no país e são as menos valorizadas.

Adiantou que buscará parceria com a Acibig e a CDL nessa questão, para possibilitar cursos de capacitação dos pequenos empresários. Ressaltou também a necessidade de fortalecer a agricultura familiar e criar cooperativas de pescadores artesanais para dar melhores condições à quem vive da pesca ou maricultura.

Também precisamos fazer o fortalecimento do setor tecnológico, atrair as chamadas ‘empresas limpas’, não poluidoras. Está em nosso plano de governo a capacitação do trabalhador, não só aqueles do comércio, mas em todas as áreas, e também do gestor que é o dono do negócio, para que ele inove suas ações e faça com que o seu comércio diminua custos e amplie a geração de empregos. Além disso, incentivar a economia solidária, por meio de cooperativas“, explanou.

 

Atualizada às 20h21

Publicidade