Renan pedirá indiciamento de Bolsonaro por prevaricação no caso da vacina Covaxin

Publicidade

Relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) vai pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por prevaricação. A informação foi adiantada ao jornal “O Globo”.

Segundo a reportagem publicada neste domingo (19), o relatório apontará que o crime estaria configurado pelo fato de o presidente não levar aos órgãos de investigação a denúncia sobre irregularidades na negociação para a compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde.

Continua após a publicidade

A previsão é que Calheiros entregue na quinta-feira (23) o parecer final da CPI. Segundo a reportagem, outros pontos constarão no documento, como práticas enquadradas em crime de responsabilidade, contra a vida, a saúde pública e advocacia administrativa.

Depois de apresentado, o relatório deve ser votado pelos integrantes da Comissão. O documento contém as principais denúncias apuradas pelo Colegiado e, ao fim, indicará que Bolsonaro optou por negar a gravidade da pandemia, sendo conivente com práticas condenadas pela comunidade científica.

A negligência com o uso da máscara e a pregação em favor do uso de medicamento cuja eficácia no combate ao coronavírus jamais foi comprovada são pontos que sustentam essa argumentação, entre outros temas.

Relator da CPI da Covid, o senador acredita que o ponto do relatório sobre a prevaricação do presidente estará fortalecido pelo fato de Bolsonaro já ser alvo de investigação pelo crime no STF.

Mesmo após a entrega do relatório, a CPI ainda deve prosseguir por pelo menos mais uma semana. O prazo final é 5 de novembro. O mais provável, porém, é que o trabalho se encerre em outubro.

Publicidade