Salmir é eleito prefeito de Biguaçu com mais de 5 mil votos de vantagem

Publicidade

O empresário Salmir da Silva (MDB) será o prefeito de Biguaçu a partir do dia 1º de janeiro de 2021. O vice-prefeito será o servidor público Alexandre Souza (Podemos). Eles foram eleitos neste domingo com 14.063 votos (42,86 % dos votos válidos) uma vantagem superior a 5 mil votos em relação ao segundo colocado, Vilson Norberto Alves (PP), que fez 8.596 (26,20%). A pesquisa Biguá News/Vortex publicada esta semana já apontava que Salmir seria eleito.

CandidatosVotos e %
Salmir (eleito)14.063 (42,86%)
Vilson Alves8.596 (26,20%)
André Clementino5.878 (17,92%)
Coronel Peres1.952 (5,95%)
Marconi Kirch1.343 (4,09%)
João José976 (2,98%)
Salmir e Alexandre comemoram vitória em ato na praça Nereu Ramos

Salmir tem 50 anos de idade e é empresário do ramo de ferramentas e parafusos. Possui formação superior em três cursos: Engenharia Industrial Elétrica; Técnico Industrial; e Gestão Pública. Ele foi eleito vereador no pleito de 2016. Em 2019, Salmir presidiu a Câmara Municipal e encerrou seu anuênio frente ao Poder Legislativo devolvendo mais de R$ 300 mil aos cofres da Prefeitura, que foram economizados durante sua gestão.

Continua após a publicidade

O vice

Alexandre Souza tem 45 anos. Ele é funcionário efetivo da Prefeitura de Biguaçu desde o ano de 2008, somando 23 anos de trabalhos realizados no município entre trabalho como concursado, conselheiro tutelar, entre outras atividades no âmbito municipal. Formado em Direito pela Univali, Alexandre também finaliza a pós-graduação em Gestão Pública Municipal pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC).

A campanha

Salmir e Alexandre durante a campanha eleitoral (Foto: Divulgação)

A candidatura de Salmir começou a ser construída no segundo semestre de 2019, quando ele era o presidente da Câmara. Em conversas com amigos, empresários e correligionários do partido, ele visualizou espaço no pleito de 2020 para uma candidatura de oposição baseada em projetos e também em um sentimento de mudança manifestado pela população. Mostrou a ideia ao presidente do MDB, ex-prefeito Tuta, e também à cúpula do partido, e ouviu deles que poderia articular sua pré-candidatura.

Com aval das lideranças do MDB, Salmir passou a conversar com outros partidos. Encontrou no Podemos, presidido por Jeferson Binhoti, um candidato a vice com nome limpo e muito querido na comunidade, sobretudo no centro da cidade (onde o MDB sempre teve dificuldades em eleições passadas). A chapa “Salmir e Alexandre” soava bem nos ouvidos dos eleitores, pois não havia rejeição, juntava a experiência em gestão de Salmir com o carisma de Alexandre, e além disso ambos não eram “políticos de carteirinha”. Eram nomes leves de se trabalhar.

Na pré-campanha Salmir e Alexandre ganharam o apoio do PDT e também do PSDB. Assim formaram a coligação “A Força do Povo”, que propagou a ideia de trazer de volta a vontade do povo às decisões tomadas pela gestão municipal. Recebeu o apoio também de pessoas importantes no cenário político, como o do ex-secretário de Saúde Daniel César da Luz, entre outros que desejavam mudança no comando do Poder Executivo municipal. O trabalho do grupo culminou com a vitória nas urnas.

Publicidade