Secretário diz em Biguaçu que novo presídio aumenta sensação de segurança

Publicidade

A construção da ‘Vila da Segurança’ em Biguaçu vai aumentar a sensação de segurança na região, segundo análise do secretário-adjunto de Justiça e Cidadania de Santa Catarina, Leandro Antônio Soares Lima. Ele já foi diretor do sistema prisional do Estado e disse, ao Biguá News, que a criminalidade diminui onde há instalação de penitenciárias.

“Desde de 2011, nós temos construído novas unidades em todo o Estado. E quando temos que fazer a realocação do presídio velho para o novo, há manifestação contrária daqueles que residem perto da penitenciária que será desativada. Isso porque o trânsito constante de viaturas da polícia inibe a ação criminosa e diminuiu roubos e furtos”, argumentou Leandro.

Continua após a publicidade

O secretário salientou que a modalidade do complexo que será construído em Biguaçu, com as forças de segurança em torno do presídio, representará também economia aos cofres públicos, pois concentrará tudo em um único local. “O equipamento prisional, da forma que será feito aqui no município, facilita em logística e em diminuição de custos, pois quando o preso sai da delegacia ele vai para a unidade de penitência, que é ao lado”.

O terreno de 96 mil metros quadrados onde será edificado a Vila da Segurança já foi repassado pelo município para o Estado. O investimento no projeto, em torno de R$ 18 milhões, será todo custeado pelo programa “Pacto Por Santa Catarina”. Na avaliação do secretário-adjunto, no decorrer de 2016, a obra deve começar a sair do papel.

“O próximo passo é formalização da doação da área, obtenção das licenças ambientais, e a licitação para a escolha da empresa que vai construir o complexo. Como o prefeito fez uma condicionante para a liberação da obra, que eu achei muito interessante, de que todas as unidades sejam feitas ao mesmo tempo, nós estamos trabalhando na finalização desse projeto”, comentou.

O presídio que ficará envolto às forças policiais terá capacidade para abrigar 412 apenados e as vagas serão geridas pela administração do sistema prisional de Santa Catarina. O atual presídio do município, que fica no centro da cidade, tem cerca de 130 reeducandos. No entanto, conforme o secretário, aproximadamente 300 apenados que cometeram crimes em Biguaçu estão presos em penitenciárias da região.

Publicidade