Variante indiana do coronavírus pede ação imediata para controlar covid, diz União Europeia

Publicidade

O Centro Europeu para a Prevenção e o Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês) alerta em comunicado nesta quarta-feira para variantes mais contagiosas da covid-19, sobretudo a Delta, localizada inicialmente na Índia. O órgão da União Europeia diz que algumas variantes “colocam nossos esforços para controlar a pandemia em risco e exigem ações imediatas”.

Diretora do EDCD, Andrea Ammon destaca que variantes do vírus estão se disseminando rapidamente pelo mundo. Baseando-se nas evidências científicas disponíveis, a variante delta é mais transmissível que as demais, lembra ela. “Nós estimamos que, até o fim de agosto, ela representará 90% de todos os vírus sars-cov-2 circulando na União Europeia”, projeta.

Continua após a publicidade

A autoridade de saúde afirma que, segundo dados preliminares, a cepa Delta pode também infectar pessoas que receberam apenas uma dose das vacinas atualmente disponíveis. Ammon diz ser “muito provável” que a variante circule bastante na UE no verão local, especialmente entre os mais jovens, que não são até agora o alvo da vacinação. “Isso poderia representar um risco para os indivíduos mais vulneráveis para ser infectados e sofrer doença grave e morte, caso eles não sejam totalmente vacinados”, diz.

A agência europeia diz que a boa notícia é que as duas doses de todas as vacinas hoje disponíveis garantem proteção elevada contra a variante e suas consequências. Na UE, contudo, cerca de 30% daqueles com mais de 80 anos e cerca de 40% daqueles com mais de 60 anos ainda não receberam a vacinação completa. Com isso, ainda há muitas pessoas em risco de contrair quadros graves da covid-19 que precisam se proteger o quanto antes. Enquanto isso, é preciso aderir estritamente às medidas de saúde pública para controlar as transmissões, diz Ammon, pedindo ainda que se acelere o progresso na vacinação.

Publicidade