A Psicologia: um caminho para autocompreensão

Publicidade

DoralinaDoralina Enge Marcon

O que é Psicologia? Com o que trabalhamos? Difícil explicar, difícil apalpar… Não é como trabalhar com dentes, corpo, carros, construções, mas com aquilo que não podemos tocar, com o que é difícil de ver: a subjetividade, os sentimentos, os comportamentos, as relações, o jeito de ser de cada um. A Psicologia está em tudo e não está em nada, e parece que ninguém sabe sua real importância até realmente sentir em si mesmo.

Continua após a publicidade

Ao perceber o quanto vivemos procurando respostas em meio ao mundo e à tantos momentos, reconhecemos como nossas vidas são cheias de conflitos, sentimentos, valores e episódios difíceis. Tentamos entre certezas e dúvidas encontrar qual a melhor forma de agir.  Existem tantas possibilidades de ações, de ser, de pensar, que escolhemos de acordo com alguma referência que encontramos ao longo da vida, qual a forma certa ou errada. Ficamos tão distraídos com o que devemos ser, que esquecemos de olhar para o que somos.

Deixamos de reconhecer nós mesmos e ficamos perdidos no meio de tantos acontecimentos, agarrados em certezas ou desesperados com tantas dúvidas. A Psicologia tem esse compromisso: compreender essa pessoa em movimento para chegar mais perto dela mesma, da sua autocompreensão.

A partir da autocompreensão é possível que a pessoa consiga estar mais próxima do sentido que dá à vida e reconheça o que deseja viver, mais consciente e presente nas suas escolhas. Reaprende a encontrar as respostas nela mesma e como pode desenvolver seu máximo.

Compreender o ser humano é uma missão complexa que não se esgota. Por isso, temos muito a comemorar no Dia do Psicólogo, marcado para o próximo dia 27 de agosto! Há 54 anos a Psicologia se engaja em conhecer o homem e tudo que pode influenciar seu jeito de ser. Em uma das vertentes da Psicologia, a Abordagem Centrada na Pessoa, Carl Rogers, busca refletir sobre o processo de tornar-se pessoa com autonomia e capacidade de fazer escolhas com responsabilidade. Nesse processo, é possível facilitar o resgate das potencialidades da pessoa e por onde ela consegue construir seu processo e ser cada dia mais harmônica consigo mesma e com os momentos que precisa viver.

A Psicologia abraça esse processo e se dedica a cada dia acompanhar esse ser humano que não para de ser.

*Doralina Enge Marcon – Psicóloga do Espaço Viver, em Florianópolis.
E-mail: espaco_viver@yahoo.com.br

Publicidade