Aluna de Biguaçu é finalista da Olimpíada de Língua Portuguesa

Publicidade

A aluna Ana Paula Martins de Paula, da Escola de Educação Básica Professor José Brasilício, no centro de Biguaçu, teve o seu poema selecionado dentre cinco milhões de textos e tornou-se finalista da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro – que é um concurso de produção de textos para alunos de escolas públicas de todo o país, do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio.

O evento – que está em sua 5ª edição – é uma iniciativa do Ministério da Educação e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). O tema escolhido para este ano é “O lugar onde vivo”, que propicia aos alunos estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania.

Continua após a publicidade

Na etapa regional da Olimpíada, que finalizou no dia 24 de novembro, os 125 estudantes semifinalistas de cada categoria e seus professores viajaram para a Bahia, onde participaram de oficinas. Foram três dias de uma intensa programação formativa e cultural, com novas aprendizagens e experiências marcadas pela riqueza e pela diversidade dos participantes de todos os cantos do país.

Professora Gisele e sua aluna Ana Paula (Foto: arquivo pessoal)
Professora Gisele e sua aluna Ana Paula (Foto: arquivo pessoal)

No último dia da oficina, houve uma festa no qual foram divulgados os 38 finalistas da categoria Poema, na qual Ana Paula e sua professora Gisele Helena de Almeida representaram o Estado de Santa Catarina. No próximo dia 12 de dezembro, acontecerá a final em Brasília.

“Independente de vencer a final, Ana Paula, Gisele e todos os alunos da EEB Professor José Brasilício já são vencedores, pois a experiência de produção de textos possibilitou aos alunos a ampliação de suas competências na linguagem oral, na leitura e na escrita, além de aprofundar o olhar sobre o lugar em que vivem, aproximando a comunidade da escola”, diz trecho da nota enviada ao Biguá News pela diretora da escola, Grasiela Monteiro Epping.

Publicidade