Casan prepara entrega de mais uma estação de tratamento de esgoto

Foto: Assessoria

Ainda neste semestre estará em operação a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que está sendo erguida no bairro Poço Rico, às margens da Rodovia SC-114, em Otacílio Costa (315 km de Florianópolis – na região Serrana).  A construtora responsável pela obra acredita que até abril ou maio a unidade estará pronta para entrar em regime de pré-operação, quando a população começa a ser convocada para fazer a ligação dos imóveis à rede pública de esgoto.

Mais de 90% das obras do Sistema de Esgotamento Sanitário de Otacílio Costa estão executadas, com redes de coleta, ligações domiciliares, emissários e estações elevatórias já instalados.

Conteúdo impulsionado

O investimento em Otacílio Costa é de R$ 21,1 milhão, com recursos obtidos junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Aproximadamente 6 mil moradores dos bairros Centro Administrativo, Pinheiros, Poço Rico e Santa Catarina serão beneficiados.

A rede coletora de esgoto possui quase 30 quilômetros e a ETE terá capacidade para depurar 25 litros de esgoto por segundo. “Essa primeira etapa vai proporcionar uma cobertura de 40% de esgotamento sanitário para a cidade”, destaca o gerente de Construção da CASAN, Fábio Krieger.

Atualmente a Companhia executa obras de esgotamento sanitário em mais de 30 cidades. A meta é levar Santa Catarina a um dos primeiros lugares do ranking de saneamento em 2019.  O SES Otacílio Costa faz parte do Plano de Investimentos da CASAN, que prevê 1,6 bilhão somente para esgotamento sanitário.

Ligação ao sistema somente com orientação da CASAN

A CASAN alerta moradores de Otacílio Costa para que não realizem ainda a conexão de seus imóveis à rede coletora do Sistema de Esgotamento Sanitário em implantação.

A liberação para que os imóveis sejam conectados ao sistema público será comunicada e orientada pela CASAN no momento adequado (provavelmente em maio), quando todo o sistema estiver concluído.

A conexão ao sistema antes do início de operação pode gerar problemas para moradores (retorno de esgoto às residências) e também à cidade, como mau cheiro nas ruas.

Responsabilidades da CASAN e de moradores

Em frente de cada um dos imóveis beneficiados a CASAN implantou uma Caixa de Inspeção (CI), que é o local onde o proprietário deve fazer a ligação de seu imóvel à rede de coleta do sistema público de esgoto sanitário. Esse também é o ponto que marca até onde a CASAN terá responsabilidade sobre o sistema.

Na parte interior dos imóveis, os proprietários devem conhecer as tubulações do seu sistema individual de tratamento de esgoto e, quando a CASAN autorizar, direcionar o fluxo para a Caixa de Inspeção (CI). Os custos de mão de obra e com materiais hidráulicos usados internamente são responsabilidade do morador.

“O proprietário deve buscar o auxílio de um encanador ou de um instalador hidráulico para verificar a sua tubulação de esgoto e para realizar a conexão com o sistema da CASAN quando receber essa orientação”, explica o gerente de construção da CASAN.

“Serão necessários alguns gastos iniciais por parte do proprietário, mas é importante lembrar que os moradores não terão mais problemas com fossas entupidas, nem terão que gastar com serviços de caminhões limpa-fossa. Além disso, os imóveis serão valorizados e os moradores serão beneficiados com mais saúde e qualidade de vida”, complementa.

 

Conteúdo impulsionado