Cidade de SC tem maior proporção de cancelamentos do Bolsa Família do país

Publicidade

G1 – Santa Catarina tem os dois municípios com o maior número relativo de bloqueios e cancelamentos do Bolsa Família, segundo pente-fino feito pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) divulgado na tarde desta segunda-feira (7). Em Santa Catarina, foram 8.375 benefícios bloqueados e 7.490 cancelados.

O maior número relativo de cancelamentos foi registrado em Treviso, no Sul do estado. O município teve 25,93% dos benefícios recebidos na cidade cancelados. O G1 tentou contato com a Secretaria de Assistência Social de Treviso, mas não obteve êxito até a atualização mais recente desta notícia.

Continua após a publicidade

Outros municípios catarinenses que aparecem na lista são Vargem Bonita, no Oeste, que teve 18,89% dos benefícios cancelados e aparece em terceiro lugar, e Cocal do Sul, no Sul, e Nova Erechim, no Oeste, que tiveram 15,33% e 15,28% dos benefícios cancelados, respectivamente. Essas cidades aparecem em nono e décimo lugar na lista.

No caso do número relativo de bloqueios – que significa a suspensão dos pagamentos até que sejam esclarecidos eventuais erros no cadastro dos beneficiários – o município de Lacerdópolis, no Oeste, aparece no topo da relação do Ministério, com 36,36% dos benefícios bloqueados. O G1também tentou contato com a Assistência Social de Lacerdópolis, mas não havia ninguém para comentar o assunto até a última atualização desta notícia.

Em quarto lugar está a cidade de Serra Alta, no Oeste catarinense, teve 23,08% dos benefícios bloqueados. Na mesma região, Piratuba aparece em décimo lugar, com 19,57% dos benefícios bloqueados.

Os cancelamentos e bloqueios serão informados via extrato bancário ou pelo aplicativo de celular do Bolsa Família. O comunicado trará o motivo do corte e os procedimentos que deverão ser tomados. O prazo de regularização será de três meses

Bloqueios e cancelamentos
De acordo com o Ministério, em todos os casos foi constatado que a renda das famílias era superior à exigida para a participação no programa. O Bolsa Família é voltado para famílias em extrema pobreza, com renda per capita mensal de até R$ 85,00, e para famílias pobres, com renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00.

O cancelamento do benefício foi determinado para famílias que, segundo o pente-fino, têm renda per capta acima de R$ 440. Já o bloqueio foi aplicado nos casos em que o Ministério verificou renda familiar per capita entre R$ 170 e R$ 440.

Números do Brasil
O pente-fino encontrou irregularidades em 1,1 milhão de benefícios do programa Bolsa Família, de acordo com a pasta. As irregularidades representam 7,9% dos 13,9 milhões de benefícios.

O ministério determinou o cancelamento de 469 mil dos benefícios. Nos outros 654 mil casos em que foram encontradas irregularidades, o governo determinou a suspensão dos pagamentos até que sejam esclarecidos eventuais erros no cadastro dos beneficiários.

Publicidade