Corinthians vence o Flamengo e está perto de conquistar o título

Publicidade

Helder Júnior / Gazeta Esportiva

No reencontro entre o Corinthians e Paolo Guerrero, quem fez a diferença foi Vagner Love. O sucessor do centroavante peruano anotou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo, a sua equipe do coração, e deixou o líder do Campeonato Brasileiro ainda mais próximo do título, neste domingo, em Itaquera.

Continua após a publicidade

O Corinthians soma agora 70 pontos, a seis rodadas de a competição acabar. O próximo compromisso será logo contra o segundo colocado Atlético-MG, no domingo que vem, em Belo Horizonte. Praticamente sem aspirações, o Flamengo totaliza 44 e enfrentará o Grêmio no mesmo dia, em Porto Alegre.

Para se sobressair ainda mais diante da equipe rubro-negra, o Corinthians não se importou com a presença de Guerrero desde os primeiros minutos. A torcida só não fez o mesmo quando as atenções do jogo estavam voltadas ao antigo ídolo, hoje alvo de vaias. Love, que já atraiu para si a impaciência do público de Itaquera, anotou nos acréscimos do primeiro tempo. E Jonas foi expulso no segundo, comprometendo as pretensões do Flamengo.

Vagner Love marca o gol da vitória e ofusca Guerrero (Foto: Gazeta Press)
Vagner Love marca o gol da vitória e ofusca Guerrero (Foto: Gazeta Press)

O jogo – A maior parte da torcida do Corinthians ignorou Paolo Guerrero até quando conseguiu. Enquanto Vagner Love se dirigia ao banco de reservas adversário para cumprimentar os amigos que deixou no Flamengo, o centroavante peruano caminhou calmamente ao centro do campo para dar início à partida contra o ex-clube.

Bastou Guerrero disputar a primeira bola no ataque, no entanto, para os torcedores posicionados mais próximos do campo extravasarem todo o rancor com o antigo ídolo. Quando ele escorregou e caiu após o seu sucessor Vagner Love desperdiçar um ataque, a reação foi festiva em Itaquera.

Love estava animado para oferecer outros motivos para o público da casa se alegrar. Em menos de cinco minutos, criou duas oportunidades de gol. O centroavante primeiro invadiu a área em uma tabela com Malcom, mas chutou mal, cruzado e para fora. Depois, fez um desarme e avançou com velocidade até cair dentro da área e pedir pênalti. O jogo seguiu.

O momento parecia tão favorável ao Corinthians que até o contestado Edílson levantou a torcida ao colocar a bola entre as pernas de Everton. Sem se intimidar com o lance de efeito, o Flamengo aos poucos voltou a incomodar. Com Guerrero, que fez um giro na ponta esquerda e arriscou por cobertura – errou o alvo e foi novamente vaiado.

Do banco de reservas, ao contrário, Oswaldo de Oliveira aplaudiu a iniciativa da sua equipe. O Flamengo chegou a ter mais posse de bola do que o Corinthians, embora não assustasse tanto. Levou perigo realmente em uma cobrança de escanteio – César Martins concluiu por cima da meta, na pequena área, após um desvio na primeira trave.

A postura do Flamengo abriu espaços para o Corinthians contra-atacar. Jadson saiu livre na ponta direita dessa forma, porém a investida acabou frustrada com um passe nas costas de Love. Pouco mais tarde, Elias tentou passar no meio de dois marcadores e caiu dentro da área. O árbitro, diferentemente da maioria dos presentes em Itaquera, não viu pênalti e ainda puniu o corintiano.

Quando o placar do primeiro tempo já parecia definido, um centroavante fez a diferença. E não foi Guerrero. Aos 47 minutos, Vagner Love foi acionado do lado direito da área por Malcom, que havia recebido de Malcom, e teve tranquilidade para colocar a bola na rede.

No princípio do segundo tempo, a torcida corintiana voltou a vibrar – Guerrero recebeu um cartão amarelo. Para Jonas, a cor foi outra. O volante cometeu falta dura em Renato Augusto e acabou expulso, deixando o Flamengo em situação ainda mais complicada na Zona Leste paulistana.

Para reabilitar o seu time, Oswaldo de Oliveira apostou em Gabriel no lugar de Paulinho, que fazia uma partida ruim. Àquela altura, o Corinthians já envolvia o Flamengo com a sua constante troca de passes, obrigando o goleiro Paulo Victor a trabalhar vez o outra. Havia quem gritasse “olé” nas arquibancadas.

Tite, sempre orgulhoso para dizer que não tripudia dos adversários, resolveu sacar Vagner Love no final – antes, trocara Malcom por Lucca. O substituto de Guerrero saiu de campo ovacionado pela torcida do Corinthians, como um dia ocorreu com o peruano. Recebeu aplausos até de Finazzi, centroavante que passou pelo clube na temporada do rebaixamento à Série B e estava no estádio.

Publicidade