Coritiba bate Palmeiras e está quase ‘livre’ da B

Publicidade

Gazeta Esportiva

O Palestra Itália, com ingressos já esgotados para a final da Copa do Brasil, recebeu seu pior público desde a reinauguração na tarde deste chuvoso domingo. Os que foram ao estádio testemunharam um jogo de baixo nível técnico, encerrado com vitória por 2 a 0 do Coritiba sobre os reservas do Palmeiras, há seis rodadas sem vencer no Brasileiro.

Continua após a publicidade

Pagaram ingresso para acompanhar a partida 15.037 torcedores. Até então, o pior público do novo Palestra Itália, reaberto em novembro do ano passado, havia sido registrado no empate sem gols com o ASA, pela terceira fase da Copa do Brasil, com 17.212 pessoas.

O Palmeiras não ganha no Brasileiro desde 17 de outubro, data em que bateu o Avaí por 3 a 1. Desde então, perdeu de Sport (2 x 0), Santos (2 x 1) e Vasco (2 x 0) e empatou com Atlético-PR (3 x 3) e Cruzeiro (1 x 1) antes de cair diante do Coritiba. No Palestra Itália, o último triunfo veio em 12 de setembro, por 2 a 0, contra o Figueirense.

Com 50 pontos ganhos, o Palmeiras ocupa a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro – o São Paulo, último integrante do G4, tem 59 pontos. Com os gols de Juan e Henrique Almeida neste domingo, o Coritiba respira na luta contra o rebaixamento, uma vez que passa a contabilizar 43 pontos e figura na 15ª posição da tabela.

Na 38ª rodada, a última do torneio, o Palmeiras visita o Flamengo e o Coritiba recebe o Vasco. Ambos os jogos estão marcados para as 17 horas (de Brasília) do próximo domingo. Às 22 horas de quarta-feira, no Palestra Itália, o time da casa disputa o título da Copa do Brasil com o Santos.

O Jogo – Em uma partida com poucas oportunidades de gol, o Coritiba aproveitou a sua aos 23 minutos do primeiro tempo. Negueba descolou excelente passe para Juan, por trás da desentrosada defesa palmeirense. Experiente, o jogador deslocou o goleiro Fábio e finalizou.

O Palmeiras, independentemente de sua escalação, é incapaz de articular boas jogadas de ataque a partir do meio de campo. O centroavante Alecsandro, de cabeça, chegou a mandar para as redes aos 34 minutos do primeiro tempo, mas a arbitragem marcou impedimento corretamente.

No intervalo, Marcelo Oliveira trocou Mouche por Juninho, da categoria sub-20. Durante o segundo tempo, sacou Andrei Girotto para e entrada de Cristaldo e colocou Jobson, mais um jovem, no lugar de Allione. As alterações, porém, não surtiram efeito. Lucas, único titular, pouco fez. Assim como Kleber Gladiador, hoje no Coritiba.

O baixo nível técnico persistiu na etapa final, com poucas chances concretas de gol para ambas as equipes. A torcida local vibrou apenas no momento em que o sistema de som do estádio anunciou o primeiro gol do Vasco contra o Santos no Estádio de São Januário. Já nos acréscimos, Henrique Almeida recebeu na cara de Fábio e fechou o placar.

Antes da partida, foram ao gramado do Palestra Itália os jogadores das categorias de base do basquete palmeirense, recentemente premiados. No intervalo, os atletas do futebol de mesa exibiram seus troféus. Os comandados de Marcelo Oliveira, vice-campeões do Paulista, terão na quarta-feira a última chance de ganhar um título em 2015 na final da Copa do Brasil.

Publicidade