Governo do Estado tenta reativar 21 leitos de UTI na Grande Florianópolis

Publicidade

O Governo de Santa Catarina está atuando junto às unidades hospitalares da Grande Florianópolis para reativar 21 leitos de UTI que foram desativados na região, em 2020. A medida está sendo tomada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) mediante o aumento do número de internações hospitalares de pacientes com Covid-19 na região nos últimos dias.

“Florianópolis está recebendo um impacto muito grande. Estamos no meio da pandemia, como temos alertado há muito tempo. Houve velocidade de transmissão e por consequência a necessidade de internações em terapia intensiva”, afirmou. “Lembramos que Florianópolis tem 21 leitos que necessitam estar ativos e os hospitais não o fizeram. Estamos cobrando essa ativação imediatamente”, afirma o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

Continua após a publicidade

Leia também:

Hospital de Biguaçu continua com todas as UTIs para Covid ocupadas

Município de Biguaçu aplica 1638 doses de vacina contra Covid-19 até agora

Notícias no WhatsApp Clique: https://chat.whatsapp.com/LcIjuTus86K53EQX4uT80w

Em visita a Chapecó, onde anunciou a abertura imediata de novos 34 leitos de UTI e 10 de enfermaria para a região Oeste, o secretário reforçou que o Governo está atuando para que estes leitos sejam colocados à disposição o quanto antes, uma vez que o recurso financeiro e os equipamentos já foram disponibilizados. 

Na mesma ocasião, o governador Carlos Moisés destacou que o Governo do Estado garantirá tudo o que for necessário para que todos os catarinenses tenham atendimento, conforme tem feito desde o início da pandemia. “Não será por falta de recursos que Santa Catarina vai deixar de manter os seus números bons no enfrentamento à Covid-19, como a menor taxa de letalidade do Brasil”. 

O governador ainda reforçou que o sistema de saúde é bastante híbrido e complexo e, por isso, reforçou a importância do alinhamento entre todos os parceiros municipais, privados, nos hospitais filantrópicos e nos próprios do Estado com os regramentos estabelecidos pelas autoridades sanitárias municipais e estaduais.

Há uma expectativa também de criação de 150 novos leitos clínicos de retaguarda nos municípios de Ponte Serrada, Coronel Freitas, Faxinal dos Guedes, Cunha Porã, Nova Erechim, Palmitos e também Xaxim. Já na terça-feira, foram encaminhados equipamentos para os municípios de Chapecó e Maravilha. 

“Repito aqui a palavra do governador: a vida dos catarinenses não tem preço. O Centro Integrado de Operações permanece em Chapecó como está posto. A ideia é ofertar segurança em saúde para toda a nossa população, em todas as regiões”, destacou o secretário.

Publicidade