Fapesc investe quase R$ 50 milhões em pesquisas em SC durante 2017

Quase R$ 50 milhões foram investidos em 2017 em pesquisas, inovações, capacitação de recursos humanos em nível de pós-graduação e difusão do conhecimento pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc).

Este órgão do governo estadual apoiou mais de 200 congressos científicos e similares por meio do edital Proeventos. Os mais de 15 mil participantes dos eventos promovidos são apenas uma parcela das pessoas que tiveram acesso aos conhecimentos gerados ou discutidos, já que muitos dos encontros resultaram em livros ou anais eletrônicos disponíveis para consulta na internet.

Conteúdo impulsionado

O ano de 2017 marcou também os 10 anos do Inventário Florístico Florestal de Santa Catarina (IFFSC). Desde 2007, o IFFSC vem gerando informações atualizadas, detalhadas e confiáveis sobre a quantidade e qualidade das florestas no estado, para orientar políticas públicas voltadas ao uso sustentável dos recursos florestais. Atualmente é um programa permanente do Governo do Estado e neste ano recebeu R$ 400 mil de um total de R$ 6 milhões já repassados pela Fapesc.

Recordes

O programa Sinapse da Inovação ganhou uma dimensão jamais imaginada quando idealizado pela Fundação Certi, há 10 anos. Operado com apoio financeiro da Fapesc desde 2009, o Sinapse foi implantado também nos estados do Amazonas e Espírito Santo, recebendo apoio das respectivas Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa, e em 2017 inspirou um programa nacional de empreendedorismo inovador, o Centelha.

Responsável pela criação de mais de 400 startups inovadoras em Santa Catarina, de mais de 1,5 mil empregos diretos e de aproximadamente 150 patentes desde sua edição piloto, o Sinapse da Inovação está em sua sexta edição em Santa Catarina. No dia 17 de novembro, a Fapesc divulgou a lista das 300 ideias selecionadas para a segunda fase do programa, que nesta edição contou com 1.791 propostas de negócios submetidas por 4.074 participantes – provenientes de 113 municípios catarinenses –, um recorde que denota a grande demanda pelo fomento estadual em inovação.

Outro recorde foi na demanda do Programa de Apoio à Infraestrutura de CTI para Jovens Pesquisadores: 501 propostas foram submetidas por pesquisadores de todo o Estado. O montante disponível era de R$ 3 milhões, tendo sido contemplados 43 projetos. Este é o 5º edital do Programa, que desde 2003 repassou R$ 7,8 milhões para a comunidade científica catarinense, atendendo a quase 200 projetos no Estado.

Conteúdo impulsionado