Figueirense repudia presidente do Vasco

Publicidade

O Figueirense Futebol Clube repudiou, nesta sexta-feira (16), as declarações do presidente do Vasco, Eurico Miranda, insinuando que “os times de Santa Catarina estão sendo beneficiados pela arbitragem no Campeonato Brasileiro de 2015”. A fala infeliz do comandante vascaíno ocorreu após empate em 1 a 1, no jogo entre Vasco e Chapecoense, no Maracanã, na quarta-feira (14), com marcação de pênalti polêmico a favor da Chape.

A diretoria do Figueira lembrou, ainda, que o “Furacão” catarinense foi o mais prejudicado por erros de arbitragem neste campeonato. “Erros estes que o Figueirense entende que acontecem com qualquer ser humano”, cita a nota.

Continua após a publicidade

O clube é solidário ao presidente da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Delfin de Pádua Peixoto Filho. Presidente este que tem se dedicado nos últimos 30 anos ao crescimento do futebol de Santa Catarina, culminando este ano com quatro clubes na Série ‘A’ do Campeonato Brasileiro.

Segue a carta da Associação de Clubes Profissionais de Santa Catarina, no qual o Figueirense é sócio fundador:

NOTA DE REPÚDIO

A Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (SCCLUBES) e seus 28 clubes filiados repudiam, veementemente, as acusações recentes do presidente do Clube de Regatas Vasco da Gama, Eurico Miranda, dirigidas ao presidente da Federação Catarinense de Futebol e vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Delfim Pádua Peixoto Filho, de que estaria a influenciar o quadro de árbitros da CBF para ajudar os clubes de Santa Catarina na luta pela permanência na Série A do Campeonato Brasileiro.

São palavras que não têm consistência, que visam um jogo de bastidores, que muitas vezes são de recorrente artifício, utilizado em momentos de pressão, como uma reta final de Brasileirão.

Não há nada que comprove qualquer tipo de atuação do presidente da FCF, Delfim Pádua Peixoto Filho, visando influenciar a arbitragem em favor dos clubes catarinenses, assim como nada há que sequer indique, muito menos comprove, qualquer tipo de campanha ou complô para favorecimento aos clubes do Estado no referido Campeonato.

Os clubes catarinenses também têm todo o direito de se sentirem prejudicados, como foram, em decisões de arbitragem durante as partidas do mesmo Campeonato. Mas entendem que erros e acertos fazem parte do jogo.

Por fim, a Associação entende que é justo que o presidente da FCF, Delfim Pádua Peixoto Filho, esteja sempre atento e presente na defesa dos clubes catarinenses. Mas isto não significa que haja qualquer tipo de influência nas arbitragens, coisa que a própria Associação é contrária, pois defendemos o jogo limpo, sem pressões, artimanhas e manobras de bastidores.

Seguiremos lutando em campo pela permanência da representação contundente do futebol catarinense na elite do futebol nacional, observadas as regras éticas, desportivas e legais.

Florianópolis, 16 de outubro de 2015.

NILTON MACEDO MACHADO

Presidente da SCCLUBES

Publicidade