Gov. Celso Ramos passa a ter duas praias com selo Bandeira Azul

Publicidade

O júri internacional do programa Bandeira Azul renovou a certificação concedida em 2015 para a Praia de Palmas, em Governador Celso Ramos, e também aprovou a mesma titulação para a Praia Grande, conhecida como “Praia de Caravelas”. Assim, duas praias do município passam a ter o selo de caráter socioambiental amplamente reconhecido em todo o mundo.

As decisões foram tomadas em reunião para os países do Hemisfério Sul, realizada em Copenhagen, na Dinamarca, no começo deste mês de outubro. Na ocasião, todos os nove inscritos do Brasil foram aprovados para a temporada Bandeira Azul 2016/2017.

Continua após a publicidade

Este ano se inscreveram seis praias e três marinas brasileiras. Dentre os candidatos inscritos foram seis renovações e três novas candidaturas que terão a sua primeira temporada iniciando em novembro.

Os candidatos que tiveram sua renovação aprovada foram: a Praia do Tombo, no Guarujá (SP); a Prainha, no Rio de Janeiro (RJ); a Praia de Palmas, em Governador Celso Ramos (SC), e a Praia da Lagoa do Peri, em Florianópolis (SC), além da Marinas Costabella, em Angra dos Reis (RJ), e da Marinas Nacionais, no Guarujá (SP).

A Praia de Ponta de Nossa Senhora, em Salvador (BA), Praia Grande, em Governador Celso Ramos (SC), e o Iate Clube de Santa Catarina, em Florianópolis (SC), terão neste ano a sua primeira temporada.

As praias e marinas inscritas no programa comprometem-se com o cumprimento de critérios distribuídos nas seguintes categorias: educação e informação ambiental, qualidade da água, segurança e gestão ambiental. Para ser certificada a praia/marina candidata deve passar por três instâncias de avaliação, inicialmente pelo operador nacional do programa que encaminha as informações ao Júri Nacional e finalmente pelo Júri Internacional – que tem a palavra final sobre a certificação.

O Programa Bandeira Azul  foi criado pela FEE – Foundation for Environmental Education (http://www.fee.global), uma instituição internacional com diversos integrantes representando seus respectivos países. No Brasil, o operador nacional do programa é o IAR – Instituto Ambientes em Rede (www.iarbrasil.org.br / www.bandeiraazul.org.br ).

O Júri Internacional é composto pela Foundation for Environmental Education (FEE), World Conservation Union (IUCN), European Union for Coastal Conservation (EUCC), United Nations Environmental Program (UNEP), World Tourism Organization (WTO), World Health Organization (WHO), International Life Saving (ILS), International Council of Marine Industry (ICOMIA) e Reef Check Program.

*Com informações de Leana Bernardi

Publicidade