Governo catarinense disponibiliza R$ 55 milhões a microempreendedores

Publicidade

O Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), vai disponibilizar R$ 55 milhões em operações de crédito para microempreendedores catarinenses. A medida busca contribuir para o aceleramento da economia em período de ajuste fiscal por parte do governo federal. O governador Raimundo Colombo e o presidente do Badesc, Wellington Roberto Bielecki, assinaram autorizações para os repasses em ato na tarde de sexta-feira (26), em Florianópolis. O crédito estará disponível nos 295 municípios catarinenses.

Foto: Julio Cavalheiro / Secom

“Nosso esforço é para dinamizar a economia, oferecendo oportunidades para empreender, para que estes pequenos empresários tenham capacidade de crescer e gerar mais empregos e acelerar o desenvolvimento de Santa Catarina. Temos uma estrutura extraordinária de microcrédito no Estado. Com os instrumentos certos e com os recursos disponibilizados, conseguimos chegar a todas as pequenas empresas e fazer com que elas se fortaleçam e ajudem o Estado a se fortalecer para enfrentar a crise econômica que preocupa o Brasil”, destacou o governador, por meio da assessoria.

Continua após a publicidade

Foram liberados recursos para o programa Microcrédito de Santa Catarina para subsidiar o programa Microcrédito Juro Zero, o que vai possibilitar a contratação de até R$ 35 milhões, o que representa cerca de 12 mil novas operações. O valor máximo de cada financiamento é de R$ 3 mil, parcelado em oito prestações. Com as sete primeiras pagas em dia, a última, que é referente aos juros, é paga pelo Governo do Estado.

Complementando o montante, foi assinado acordo de captação junto ao BNDES no valor de R$ 10 milhões para novas operações e assinado o convênio para repasse do Badesc de outros R$ 10 milhões para quatro entidades de crédito. Foram beneficiadas: Extracredi, que tem sede em São Miguel do Oeste, com repasse de R$ 3 milhões; Acredite, de Rio do Sul, que atende a região do Alto Vale do Itajaí, e recebeu R$ 3 milhões; Credioeste, de Chapecó e região, com R$ 1,2 milhão; e o Banco do Empreendedor, que tem sede em Florianópolis e atende municípios da Grande Florianópolis, Litoral Norte e Planalto Norte, com R$ 2,8 milhões.


O presidente do Badesc, Wellington Roberto Bielecki, lembrou que a estrutura de microcrédito em Santa Catarina é referência nacional. “E hoje estamos colocando dinheiro novo na economia para novas operações, exclusivamente para o micro e pequeno empreendedor. Com as parcerias com as organizações e cooperativas de crédito, temos certeza de que estes recursos chegarão ao destino correto, os verdadeiros empreendedores, pessoas que fomentam a economia”, explicou.

Programa Microcrédito de Santa Catarina

O Programa Microcrédito de Santa Catarina oportuniza crédito aos empreendedores por intermédio das instituições de microcrédito. As instituições atendem também empreendedores informais sem empresas constituídas. Ele disponibiliza até R$ 15 mil, que poderão ser pagos de acordo com a capacidade de cada empreendedor. Desde 1999 até junho deste ano, o Badesc repassou R$ 148 milhões para as 34 instituições de microcrédito produtivo orientado, que compreendem 19 Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscipis), 12 Cooperativas Sicoob e três Cooperativas Sulcredi.

Juro Zero

O programa do Governo do Estado que concede até R$ 3 mil para microempreendedores individuais (MEIs) chegou no final de maio à marca de R$ 109.161.625,81 em empréstimos, em 38.573 operações de crédito sem cobrança de juros. Para participar, é necessário ser formalizado e ter receita bruta anual de até R$ 60 mil. O MEI pode procurar uma das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips) parceira ou Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), com endereços disponíveis no site do programa: www.jurozero.sc.gov.br.

Os participantes recebem, ainda, orientações dos agentes de desenvolvimento e inovação do Serviço de Apoio à Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC). O Juro Zero é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável.

Um dos microempresários já beneficiado pelo programa é o design gráfico Cesar Augusto Vitelli, dono de uma editora em Florianópolis que buscava ampliar os serviços da empresa. “Tínhamos novos projetos e um perfil de clientes com potencial, mas não tínhamos capital de giro para um investimento para atender estas novas necessidades. Então eu recorri ao Juro Zero, rapidamente fui atendido e comecei a colocar em prática o novo projeto, que já está apresentando bons resultados”, afirmou. 

Publicidade