Grêmio vence o já rebaixado Joinville, mas não assegura o vice

Publicidade

Gazeta Esportiva /

A chuva torrencial que se abateu sobre Santa Catarina nos últimos dias deu os contornos de um jogo que, se não fosse as poças d’água intensificando as disputas pela bola, seria frio. O Grêmio, já garantido na Copa Libertadores, venceu por 2 a 0 e fechou bem o ano diante do já rebaixado Joinville, que segue há mais de um mês sem vencer, mas não conseguiu assegurar a vice-liderança.

Continua após a publicidade

Classificado a maior competição das Américas de forma direta, esperando apenas o sorteio do final do mês para saber os adversários do grupo, o Grêmio só não pôde festejar a segunda melhor campanha por conta da vitória do Atlético-MG. No entanto, os gols de Marcelo Oliveira e Bobô garantiram uma despedida com vitória.

No primeiro ano de Roger Machado no comando, o Tricolor voltou à Libertadores e terminou a campanha na Série A com 68 pontos, um a menos que o vice-líder Atlético-MG e a cinco do campeão Corinthians. Já o Joinville, que ocupou a zona de rebaixamento durante a maior parte do ano, se despediu da Série A com mais uma derrota, a 21ª em 38 jogos.

A nota preocupante do jogo ficou por conta de Luan, que saiu de campo ainda no primeiro tempo. O atacante sentiu uma torsão no tornozelo e não conseguiu se manter em campo, dando lugar a Pedro Rocha. Com contrato longo, o jogador deve ser tratado para voltar ao time na pré-temporada.

Grêmio abre placar cedo e perde Luan por lesão no primeiro tempo

Com o Joinville já rebaixado à Série B, o Grêmio entrou em campo no norte de Santa Catarina obstinado a somar pontos para brigar até o fim com o Atlético-MG pela vice-liderança do campeonato. Fugindo das poças d’água, resquício da forte chuva que se abateu sobre a cidade, o Tricolor gaúcho não demorou para encontrar espaços.

Logo aos cinco minutos, aproveitando sobra de um escanteio, o Grêmio abriu o placar. Pedro Geromel evitou a saída da bola pela esquerda e, como um ponta, o zagueiro se livrou da marcação para ir ao fundo e cruzar. Se o defensor mostrou recurso para armar a jogada, o lateral esquerdo Marcelo Oliveira provou ter faro de gol ao escorar a bola para as redes.

No lance seguinte ao gol, no entanto, o Grêmio sofreu uma importante baixa. O atacante Luan levou entrada dura no tornozelo e, com dores, não conseguiu permanecer em campo, sendo substituído por Pedro Rocha aos 12 minutos. O campo encharcado pelas poças deixou o jogo ainda mais ríspido.

Querendo se despedir da torcida de forma digna, o Joinville se lançou para cima do Grêmio em busca do empate. No entanto, só conseguiu assustar aos 40 minutos, em lance isolado de Anselmo. O volante ficou com a sobra na intermediária e arriscou chute de longa distância, vendo a bola bater no travessão após desviar no meio do caminho.

Joinville desperdiça chances de gol e é castigado

Depois de um primeiro tempo apático, no qual só chegou ao gol adversário de forma contundente na reta final, os donos da casa voltaram a campo decididos a correr atrás do prejuízo. O empate, por pouco, não aconteceu logo aos dois minutos, após cobrança de falta de Edson Ratinho e cabeçada de Rafael Donato. Após perder Luan lesionado, o Grêmio recuou ao colocar um volante no lugar de um atacante.

Com isso, o Joinville cresceu. Aos 14 minutos, o lateral Mário Sérgio, que entrou no intervalo, invadiu a área pela direita e cruzou na medida para Ítalo, que emendou um voleio e viu a bola explodir na trave do goleiro gremista. Na sequência do lance, após chutão da defesa gremista, o goleiro Agenor foi enganado pela poça d’água e deixou a bola limpa para Bobô, que empurrou para o gol vazio.

No restante da etapa final, o Joinville tentou pressionar o adversário para descontar o placar, mas não conseguiu ser efetivo com a bola no chão, recorrendo apenas a lançamentos e cruzamentos para rondar a área. O destaque maior ficou com Marcelo Costa, experiente meio-campista que planeja pendurar as chuteiras ao final da temporada e pode ter feito seu último jogo pelo clube catarinense.

Rebaixado com rodadas de antecedência, o Joinville, que já anunciou o desligamento de onze jogadores antes mesmo do final do campeonato, planejando grande reformulação para 2016, terá a companhia de outro catarinense na Série B do próximo ano, o Avaí, rival cuja sede fica na capital do estado, em Florianópolis (SC). Ambos os times tinham conseguido acesso para a elite no último ano.

Publicidade