Indígenas recebem madeira para lenha retirada das obras do contorno viário de Florianópolis

Publicidade

Aproximadamente 300 metros estéreos* de lenha nativa foram doados às comunidades indígenas Morro dos Cavalos e Cambirela, localizadas em Palhoça. A madeira doada vem de áreas que deram espaço – no município – à construção do Contorno Viário da Grande Florianópolis. A quantidade repassada equivale a cinco cargas de caminhão caçamba com 7,5 metros de comprimento.

A Autopista Litoral Sul recebeu o pedido dos indígenas e encaminhou todos os trâmites legais para concretizar a doação, incluindo todo o suporte técnico necessário para preenchimento do sistema de emissão de Documento de Origem Florestal (DOF) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) para transporte do material e efetivação de homologação de créditos de reposição florestal.

Continua após a publicidade

Para a Arteris (que administra a Autopista Litoral Sul), esse tipo de ação reforça o esforço de construir a rodovia seguindo, além da obrigação e compromissos legais do processo de licenciamento ambiental, preceitos fundamentais de sustentabilidade.

Madeira é proveniente de áreas onde o Contorno Viário de Florianópolis está sendo implantado (Foto: Divulgação)

“Nos deixa muito satisfeitos dar o melhor destino possível para a madeira proveniente da supressão vegetal necessária para a implantação das obras do Contorno”, completa Daniela Bussmann, coordenadora de Meio Ambiente da obra.

*Metro Estéreo é uma medida que equivale a uma pilha de madeira com um metro de comprimento, um metro de largura e um metro de altura, com espaços vazios entre as peças.

Publicidade