Investigação policial que envolve Salete Cardoso está sob sigilo na Delegacia de Biguaçu

Publicidade

A Delegacia de Polícia Civil da Comarca de Biguaçu enviou ofício à Câmara Municipal informando que a investigação que envolve a vereadora Salete Orlandina Cardoso (PL) corre sob sigilo. O documento, lido esta semana em sessão ordinária do Poder Legislativo, é uma resposta ao pedido da Comissão de Ética e Moralidade Administrativa da Câmara – que apura se a parlamentar teria sido “funcionária fantasma” da prefeitura, entre os anos de 2016 a 2020. A vereadora é servidora concursada do município e denúncias levantaram a suspeita de que ela não batia o ponto regularmente em seu posto de trabalho.

Salete Cardoso (Foto: Biguá News/Arquivo)

Conforme o ofício da Delegacia de Biguaçu, “as investigações do inquérito policial nº 146.2021.279 estão abarcadas pela decretação do sigilo, amparada no direito processual penal pátrio, quando a publicidade das investigações pode causar prejuízo à elucidação do fato delituoso, sendo inviável o fornecimento de cópia dos autos à Comissão“.

Continua após a publicidade

Leia também:

Polícia faz buscas no gabinete de Salete, na Prefeitura de Biguaçu e secretarias

Câmara pede que Prefeitura envie folha de ponto de Salete dos últimos 4 anos

Comissão de Ética da Câmara de Biguaçu fecha o cerco contra vereadora Salete

A Comissão de Ética está fechando o cerco contra Salete, ao passo que solicita detalhes da vida laboral dela na Prefeitura de Biguaçu, relativo aos últimos quatro anos. Ela foi arrolada na “Operação Co-Incidência”, desencadeada pela Polícia Civil em dezembro do ano passado. A suspeita – que poderá ou não ser confirmada após o término das investigações – é de que a parlamentar teria sido uma “funcionária fantasma” no Poder Executivo, por supostas e reiteradas faltas no local de trabalho.

A Comissão quer saber se Salete recebeu salários do município sem trabalhar. Para isso, protocolizou vários requerimentos. Além desse enviado à Delegacia, também encaminhou pelo menos três à Prefeitura Municipal. Um deles pergunta se foi instaurado alguma procedimento para apurar as denúncias. Outro solicita ao setor de Recursos Humanos da Prefeitura os dados pormenorizados da ficha financeira e do cartão ponto de Cardoso, referente ao período de agosto de 2018 até a presente data. O terceiro ofício pede ainda que o setor de Recursos Humanos da Câmara envie aos vereadores os dados, de forma pormenorizada, de maneira clara e elucidativa, com cópia da ficha financeira, bem como todos os pedidos de afastamento, férias e licenças de todos os tipos da vereadora Salete, a partir de janeiro de 2016 até a presente data.

Publicidade