Motorista que matou jornalista atropelado em Florianópolis pode ir a juri popular

Publicidade

O juiz Paulo Marcos de Farias, titular da Vara do Tribunal do Júri da comarca da Capital, recebeu, nesta sexta-feira,  a denúncia oferecida pelo Ministério Público contra Gustavo Raupp Schardosim, acusado da prática dos crimes de homicídio qualificado consumado e tentado, em decorrência do atropelamento que matou o jornalista Róger Bitencourt e feriu o empresário Jacinto Silveira Florzino, no dia 27 de dezembro de 2015, em Jurerê Internacional.

Foi determinada a citação do agora réu Gustavo, que terá 10 dias para se defender, após o que será designada audiência de instrução e julgamento ainda neste mês, já que se trata de réu preso. Ouvidas as testemunhas de acusação e defesa, a Justiça deve decidir se Gustavo será submetido a júri popular, como requer o promotor de justiça Daniel Paladino.

Continua após a publicidade

Casos semelhantes

Segundo informações obtidas na Vara do Tribunal do Júri da Capital, tramitam hoje 18 ações penais decorrentes de acidentes de trânsito em que réus respondem por dolo eventual. Destas, cerca da metade está em grau de recurso. No ano de 2015 foram condenados dois motoristas, com desclassificação para crime culposo de outro.

Para o mês de fevereiro próximo, está prevista a primeira sessão de julgamento de caso análogo, em que o ex-jogador do Figueirense Eduardo Francisco da Silva Neto, o “Dudu”, responderá à acusação de causar a morte de três pessoas ao perder o controle de seu veículo, que se incendiou. Segundo o Ministério Público, Dudu dirigia embriagado e em velocidade incompatível com a permitida na rodovia Governador Aderbal Ramos da Silva (Via Expressa Sul).

Com informações da assessoria

Publicidade