PM é preso por porte ilegal de arma no Litoral de Santa Catarina

Publicidade

Um sargento da Polícia Militar foi preso em flagrante em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, por porte ilegal de arma e munição de uso restrito, informou a Polícia Civil. A prisão ocorreu na quarta-feira (31) e foi divulgada nesta quinta (1). O G1 tentou contato com a PM, mas não obteve êxito até a publicação desta notícia.

Foi cumprido um mandado de busca e apreensão na casa do policial, parte de uma investigação de roubo e extorsão. Na residência, foram apreendidas 494 balas, 48 delas de uso restrito.

Continua após a publicidade

Além disso, conforme a Polícia Civil, no armário usado por ele no quartel, foram apreendidas outras 132 balas e uma arma com numeração suprimida. A Corregedoria da PM acompanhou o cumprimento do mandado.

Investigação de roubo e extorsão

As apreensões na casa e armário do policial são parte de uma investigação da Polícia Civil sobre roubo e extorsão ocorridos em 12 de agosto em Balneário Piçarras, cidade a cerca de 30 quilômetros de Balneário Camboriú.

No dia anterior, a Polícia Civil foi comunicada sobre um possível estelionato. Inicialmente, a pessoa que seria a vítima desse crime passou orientações sobre a localização de quem seria o estelionatário, um foragido da Justiça. Porém, no dia seguinte, afirmou que já havia resolvido o problema e se recusou a passar mais informações.

Pelas investigações da Polícia Civil, a pessoa que seria a vítima do estelionato procurou dois policiais militares de Camboriú, também Litoral Norte, para que ameaçassem o foragido e recuperassem dele joias que foram usadas como parte do pagamento de dois apartamentos.

Ainda conforme as investigações, um dos policiais e outro investigado foram armados até o apartamento do foragido em Balneário Piçarras. Este foi abordado fora do edifício e obrigado a entrar no imóvel.

De lá, o policial e o investigado levaram dinheiro, uma coleção de relógios, equipamentos de informática e escritura de imóveis. Conforme a Polícia Civil, essa versão foi comprovada através de imagens de câmeras de segurança.

Depois, os dois, acompanhados do foragido, seguiram para um apartamento em Itajaí. De lá, o policial e o homem levaram uma mochila com joias, cheques de terceiros, munição e a arma que pode ser a apreendida no quartel. Esses objetos eram mantidos pelo foragido no imóvel.

Além da casa do PM, a Polícia Civil também fez buscas na casa do investigado. Foram apreendidos joias, cheques, armas, munição e equipamentos de informática. As investigações continuam para determinar com precisão a origem desses objetos.

Publicidade