Preso em Biguaçu criminoso que alugava máquinas pesadas e as vendia

Publicidade

A Polícia Civil de Santa Catarina participou da operação “Castor” – deflagrada pela Polícia Civil do Paraná – para prender mentores de uma organização criminosa que agia no Oeste do Paraná. Um dos alvos foi preso em Biguaçu, na Grande Florianópolis. A operação foi realizada durante a quarta (14) e quinta-feira (15), quando foram cumpridos os mandados de prisões expedidos pela Vara Criminal de Nova Aurora (PR).

Conforme a polícia, as investigações tiveram início em meados de novembro de 2020, pela Policia Civil de Toledo, quando foi identificada uma organização criminosa que agiu na região de Nova Aurora e Cafelândia (os três municípios do Oeste do Paraná), em crimes contra o patrimônio. Eles alugavam máquinas pesadas e depois davam sumiço nelas, deixando os proprietários no prejuízo. Uma escavadeira modelo PC 200 (muito usada em terraplanagens), por exemplo, pode valer entre R$ 180 mil a R$ 400 mil no mercado de usados. A polícia paranaense estima que o prejuízo para as vítimas ultrapassou R$ 2 milhões.

Continua após a publicidade

Leia também:

Polícia localiza containers furtados de terrenos em Governador Celso Ramos

Homem é preso em São José ao simular sequestro para tirar dinheiro do pai

Notícias grátis no WhatsApp? Clique aqui.

Conforme divulgou a PC do Paraná, o grupo abriu uma empresa de fachada de terraplanagem, com sede em Cafelândia, locando máquinas de outras empresas, as quais seriam utilizadas em um campo de obra localizado no município de Nova Aurora.

Ainda segundo a PC do Paraná, foram identificadas até o momento pelo menos três empresas vítimas, sendo uma do Estado do Rio Grande do Sul, São Miguel do Iguaçu (PR) e Curitiba (PR). No total foram oito máquinas pesadas locadas pelos investigados, os quais agiram de forma organizada, utilizando-se de documentos falsos desde a criação da empresa, contratos e identidade física, para realizar as locações.

Depois que ganharam a confiança das vítimas passando a imagem de tratar-se de pessoas idôneas, firmando os contratos e receberem as máquinas no campo de obra indicado, o grupo desapareceu com os maquinários, tendo inclusive abandonado a sede da empresa criada para aplicar o golpe, informou a PC do Paraná. Durante as investigações foram recuperadas duas máquinas, uma na cidade de Terra Roxa (PR) e outra em Cidade Gaúcha (PR).

Para efetuar a prisão do criminoso em Biguaçu, houve a atuação da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE/PCSC), Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), Diretoria de Inteligência da PCSC e da Polícia Rodoviária Federal em SC.

Publicidade