Procon notifica Celesc sobre falta de energia em Florianópolis na virada do ano

Publicidade

Assessoria

A Celesc confirma o recebimento da notificação do Procon de Florianópolis às 14h30 desta segunda-feira, 4, e informa que irá prestar os esclarecimentos necessários ao órgão dentro do prazo solicitado. O documento diz respeito à falta de energia elétrica ocorrida no Norte da Ilha nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

Continua após a publicidade

A empresa esclarece que, por volta das 15h do dia 31, rajadas de ventos de mais de 50 km/h atingiram a região, desligando cinco alimentadores (redes que transportam energia elétrica das subestações para os transformadores) simultaneamente. Com isso, o abastecimento de energia foi interrompido para aproximadamente 35 mil unidades consumidoras nos bairros de Canasvieiras, Ingleses, Santinho, Cachoeira do Bom Jesus, Jurerê, Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui.

Com o pronto atendimento das equipes de emergência, o sistema elétrico foi sendo gradativamente recomposto e, em duas horas, 32 mil unidades consumidoras já contavam com fornecimento. Pouco depois das 20h, o abastecimento estava normalizado em quase 100% da área atingida, restando casos isolados. A área de maior dificuldade para as equipes foi entre Jurerê e Daniela devido ao rompimento de um cabo e à quebra de um isolador, danos que exigiram mais tempo para o conserto.

No dia 1º, foi registrado ainda o desligamento de um alimentador durante uma hora e meia na região, em função de quebra de um equipamento na saída da Subestação Ingleses. Em função das características dos estragos, a causa provável é de que algum objeto tenha sido lançado contra a rede ainda no dia 31.

Na região, no período compreendido entre 14h30 do dia 31 de dezembro e 20h do dia 1º de janeiro, após o serviço de recomposição dos alimentadores, foram atendidas 360 ocorrências, destas 170 foram falta de fase e 12 foram transformadores queimados. O tempo médio de atendimento das ocorrências ficou acima do normal, prejudicado pela dificuldade de tráfego das equipes e pela ausência de sinal de telefonia móvel, que impediu o acionamento remoto de vários equipamentos da rede elétrica.

A empresa esclarece ainda que os casos de danos elétricos serão analisados conforme regras estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Publicidade