Produção catarinense de moluscos cresce quase 13%

Publicidade

A produção de moluscos catarinenses cresceu 12,95% entre 2013 e 2014. O número consta da Síntese Informativa da Maricultura 2014, divulgada nesta quarta-feira, 17 de junho, pelo Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca da Epagri (Cedap). O destaque foi a produção de ostras, que cresceu 25,17%, alcançando 3.670,36t em 2014, um recorde no Estado.

Em 2014, Santa Catarina produziu 21.553,6 toneladas de moluscos (mexilhões, ostras e vieiras). Foram 610 maricultores envolvidos, um aumento de 3,56% em relação a 2013. O setor gerou 3.388 empregos e proporcionou uma movimentação financeira bruta estimada de R$ 70.084.887,20 para o Estado, um crescimento de 26,41% em relação a 2013 (R$ 55.441.700,00).

Continua após a publicidade

Além da ostra, que registrou aumento recorde, também cresceram as produções de mexilhões e vieiras em 2014. A comercialização de mexilhões na safra 2014 foi de 17.853,1t, um aumento de 10,57% em relação à safra 2013 (16.147t). Apesar dos bons números, essa cadeia produtiva sofre em alguns municípios, que estão com os volumes de produção estagnados há pelo menos cinco anos em decorrência da indisponibilidade de sementes. De acordo com o documento, a dependência do setor produtivo da captação natural de sementes fragiliza a produção e demonstra que há necessidade de migrar para novas tecnologias.

Nesse sentido, Epagri e UFSC já vêm obtendo bons resultados com o assentamento remoto de mexilhões. As pesquisas indicam que esta tecnologia permitirá maiores produtividades, além do escalonamento e planejamento da produção, promovendo o crescimento e consolidando essa cadeia produtiva.

A produção de vieiras cresceu 10,52% em 2014 em relação à safra 2013, alcançando 30,2t. A vieira tem alto valor agregado, mas o Estado possui apenas oito produtores. Esse baixo número está relacionado à pouca rusticidade do molusco, que exige capacitação de produtores e condições ambientais específicas para ser cultivado.

Publicidade