SC vai antecipar imunização na fronteira com Argentina para criar barreira imunológica

Publicidade

Uma deliberação da Comissão Intergestores Bipartite (CIB)* desta terça-feira, 20, ditou os rumos da imunização de 10 municípios catarinenses que fazem fronteira com a Argentina. A intenção do Governo de Santa Catarina é concluir a aplicação da primeira dose na população de 18 a 39 anos nas próximas semanas nas cidades de Bandeirante, Belmonte, Dionísio Cerqueira, Guaraciaba, Itapiranga, Paraíso, Princesa, Santa Helena, São José do Cedro e Tunápolis. Ao todo, cerca de 25 mil doses precisam ser administradas para atingir todos os adultos aptos destes municípios. 

“Vamos antecipar a vacinação de toda a população adulta nos locais que fazem fronteira com a Argentina. A medida faz parte dos esforços para diminuir o risco de introdução de novas variantes em Santa Catarina”, disse o governador Carlos Moisés.

Continua após a publicidade

A Argentina detectou até o momento 93 amostras das variantes Lambda e Delta. Diante deste cenário, Santa Catarina irá agilizar a imunização nas 10 cidades fronteiriças para criar uma espécie de barreira imunológica. A ação visa coibir a entrada de cepas oriundas do país vizinho. 

“A nossa intenção é prevenir as variantes de preocupação e de interesse. Os estudos demonstram que essas mutações possuem maior capacidade de transmissibilidade, o que representa possível sobrecarga na saúde pública e nos serviços. Com o intuito de proteger a saúde dos catarinenses, evitando novos casos mais graves, a Secretaria solicitou ao Ministério da Saúde um quantitativo suficiente para imunizar toda a população restante destes 10 municípios. Serão 24.463 doses da vacina contra a COVID-19”, resumiu o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro. 

*As Comissões Intergestores Bipartite (CIB) são espaços intergovernamentais, políticos e técnicos em que ocorrem o planejamento, a negociação e a implementação das políticas de saúde pública, incluindo a temática da vacinação. As decisões se dão por consenso (e não por votação), o que estimula o debate e a negociação entre as partes.

Publicidade