Secretaria de Educação de Biguaçu contratará técnicos com ensino médio

Publicidade
Mércia rebate presidente do Sintramubi (Foto: Pedro Costa)
Márcia Rodrigues Azevedo (Foto: Pedro Costa)

A Secretaria de Educação de Biguaçu contratará, provavelmente na quarta-feira desta semana, pelo menos 18 técnicos em educação, com nível médio de ensino e habilitação em magistério, para trabalharem em escolas municipais. O salário é de R$ 1,8 mil, para 40 horas semanais.

A secretária Márcia Rodrigues Azevedo disse, ao Biguá News, esta noite, que aguarda apenas a aprovação de um projeto de lei que está em análise na Câmara de Vereadores, para lançar a chamada pública. O texto que será apreciado em 2ª votação nesta terça-feira (15), no Poder Legislativo, retira a obrigatoriedade de ensino superior para o cargo de técnico.

Continua após a publicidade

“A contratação será através de chamada pública, que diferente de um processo seletivo simplificado, consiste em analisar o currículo dos candidatos interessados”, comentou Márcia, ressaltando que já foram feitos dois processos seletivos para tal contratação, mas ainda restam vagas a preencher.

Conforme a secretária, a retirada da exigência de formação em pedagogia para exercer a função de técnico em educação em nada prejudicará a qualidade do ensino da rede municipal, pois os contratados atuarão em funções administrativas e como auxiliares dos professores. “Então o ensino médio com habilitação em magistério contempla essas vagas que faltam ser preenchidas”, falou a secretária.

Emenda modificativa no projeto

O projeto abrindo espaço para que pessoas com ensino médio pudessem ser contratadas para tais vagas foi encaminhado nesta segunda-feira para análise dos vereadores. O texto original não exigia a habilitação em magistério. No entanto, uma emenda modificativa do vereador José Braz da Silveira (PSDB) condiciona a contratação dos profissionais à tal habilitação.

O projeto foi aprovado em primeira votação nesta segunda-feira e já será analisado pela segunda vez nesta terça-feira. Sendo aprovado – como tudo indica que será – a Secretaria de Educação já poderá lançar mão da chamada pública para quarta-feira. “As aulas já começaram e precisamos preencher essas vagas”, comentou Azevedo.

Publicidade