Secretaria de Justiça diz que Biguaçu precisa de presídio pois faltam vagas

Publicidade

O secretário-adjunto de Estado da Justiça e Cidadania, Leandro Lima, disse, em Biguaçu, durante a audiência pública para debater a construção da “Vila de Segurança”, que o município precisa de um novo presídio, pois hão há mais vagas para abrigar aqueles que cometem crimes na Comarca – formada também Governador Celso Ramos e Antônio Carlos.

“O presídio do centro da cidade não comporta mais esses 140 presos provisórios que lá estão e não podemos transferir a unidade mantendo esse mesmo número de vagas insuficientes”, explicou. “Também há cerca de 300 homens e mulheres que cometeram crimes em Biguaçu que estão detidos em outros presídios catarinenses, por falta de vagas aqui”, completou.

Continua após a publicidade

O projeto da Vila da Segurança contempla uma unidade prisional com capacidade para 412 presos provisórios. A estrutura também é composta por quartéis da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Delegacia de Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias (IGP) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A obra será construída com investimento de R$ 24 milhões do Governo do Estado. Já a Prefeitura entrou com doação do terreno de 96 mil m².

Leandro argumentou que a instalação do presídio dentro da vila é uma iniciativa inovadora para reforçar a segurança da população. Hoje, o atual presídio fica no centro da cidade e está interditado judicialmente, devido à sua precariedade.

“A realocação do presídio não é uma novidade, pois está dentro da política de ampliação de vagas do sistema prisional catarinense e do novo modelo de arquitetura prisional. Desde 2011, abrimos 4.590 vagas e fechamos 464 que estavam comprometidas. Em Biguaçu, a vila irá reorganizar os equipamentos de segurança, dando reforço na área de logística e permitindo uma maior cooperação entre as unidades policiais”, destacou Lima.

Leandro Lima ainda esclareceu para os participantes que a sensação de segurança para as comunidades, com uma unidade prisional, aumenta pelo trânsito de veículos da polícia. Além disso, ressaltou que a última rebelião registrada no Estado foi em 2011. O projeto da Vila da Segurança também foi defendido pelo prefeito, que salientou a importância do complexo. “É um modelo em que as forças poderão se ajudar nos atendimentos”, disse Wollinger.

Projeto da Vila de Segurança em Biguaçu (Foto: Biguá News)
Projeto da Vila de Segurança em Biguaçu (Foto: Biguá News)

*Com informações da jornalista Denise Lacerda, da SJC.

Publicidade