Serviços Aeropoliciais da Polícia Civil de Santa Catarina realizam 704 missões em 2015

Publicidade

Assessoria da PJC

Foto: Assessoria
Foto: Assessoria

Os Serviços Aeropoliciais da Polícia Civil, com uma base em São José (SAER) e outra em Chapecó (SAERFron – Serviço Aeropolicial de Fronteira), tiveram o ano de 2015 com intensas atividades, 704 missões executadas, seja no apoio a operações policiais, missões de apoio à Defesa Civil, transporte de órgãos e equipes médicas, busca de foragidos, busca e salvamento, monitoramento, translado de dignatários e levantamento aéreo, atendendo em 103 municípios catarinenses (51 SAER e 52 SAERFron).

Continua após a publicidade

Apesar do foco do serviço dos helicópteros serem prestar apoio em operações policiais, um dos destaques deste ano foi a atuação essencial do SAER no salvamento de várias pessoas em situação de risco de morte, vítimas que foram atingidas pelas enchentes do segundo semestre, no caso de Santa Catarina, principalmente, no Oeste catarinense.

Um dos destaques foi a exímia atuação da tripulação do serviço aeropolicial no município de Saudades, em que cinco pessoas da mesma família, que tiveram a casa destruída, estavam isoladas num área de risco. Outras nove pessoas em tratamento de hemodiálise também foram resgatadas em uma área isolada nos municípios de Salete e Ituporanga, e transportadas para hospital em Rio do Sul. Além disto, foram várias missões de transporte de medicamentos, alimentos e até geradores para diversos locais vulneráveis atingidos pelos danos da natureza.

As missões de apoio policial

As atividades de suporte em operações de fuga, cumprimentos de mandados busca e apreensão, de prisão resultaram num saldo mais eficiente, com 295 missões específicas (163 do SAERFron e 132 do SAER). Entre diversos auxílios, pode-se citar a localização mais exata de criminosos em fuga, a localização de veículos roubados que estavam escondidos em locais ermos, o que aconteceu tanto na Grande Florianópolis, quanto no Oeste do Estado. “A utilização da aeronave facilitou de forma considerável a localização dos veículos, posto que estavam em local de difícil acesso por terra, sendo importante ferramenta que está à disposição de toda a Polícia Civil para levantamentos e averiguações que se façam necessárias”, destacou o Coordenador Adjunto do SAER, o Delegado Gilberto Mondini.

No Oeste do Estado, a equipe do SAERFron tem prestado vários apoios em razão de fugas de veículos em rodovias e assaltos ocorridos na região. “Uma ocorrência de destaque, foi o acionamento do SAERFron para localização de suspeitos que haviam baleado um policial, após o roubo de um veículo na cidade de Chapecó. Os envolvidos foram localizados e o veículo recuperado”, destacou o Coordenador Adjunto do SAERFron, Delegado Albert Dieison Silveira.

Os monitoramentos para os setores de inteligência da Polícia Civil e de outros órgãos também foi uma constante durante o ano de 2015. A greve dos caminhoneiros, bem como eventos de grande proporção são exemplos onde o apoio aéreo fez toda a diferença.

Ações paralelas

O transporte de órgãos e equipes médicas foi outra parceria que salvou diversas vidas. Somente ano de 2015, o SAER e SAERFron realizaram 25 missões de cooperação à SC Transplantes pelo território catarinense. As ações nesta área foram reconhecidas inclusive pela ALESC, em novembro deste ano, agraciando o SAER e SAERFron, entre outras entidades, pela parceria e atuação em atividades pertinentes ao convênio com SC Transplantes.

Também foram prestados apoios a outras entidades públicas – 16 órgãos diferentes, no total – como o salvamento de um homem de 40 anos que estava se afogando e foi visualizado durante um voo do SAER na Baía Norte, em Florianópolis, o que permitiu o acionamento do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros Militares, possibilitando o resgate da vítima com êxito, apontando onde estava a vítima e resgatando-a ainda com sinais vitais. Outra parceria com os Bombeiros Militares foram em ações de busca e salvamento, como a localização de três pessoas perdidas na trilha da Lagoinha do Leste, na capital catarinense.

O SAER é coordenado pelo Delegado de Polícia Civil Djalma Alcântara e o SAERFron é coordenado pelo Delegado de Polícia Civil Ricardo Newton Casagrande.

Publicidade