A reforma administrativa e os profetas do apocalipse

Publicidade
*Alexandre Alves

Coluna Entrelinhas

Aprovado – A Câmara de Biguaçu aprovou, em duas sessões extraordinárias feitas na manhã desta terça-feira (27), a reforma administrativa proposta pelo prefeito Ramon Wollinger (PSD), baixando o número de secretarias e de cargos comissionados. A tesoura cortou 49 cargos em comissão e baixou os salários de outros 119.

Continua após a publicidade

Economia – Em tempos de crise, o prefeito faz o dever de casa e ajusta os custos com a folha de pagamento. A equipe da Prefeitura ainda está fechando as contas da economia que será feita, mas os números preliminares apontam que o município deixará de gastar cerca de R$ 2 milhões por ano com essa reformulação.

Ilesos – Os vencimentos dos secretários municipais escaparam dessa ‘tesourada’ do prefeito e foram mantidos. Os titulares das 13 pastas (antes eram 20) receberão R$ 7 mil por mês. Na votação do projeto, o vereador Fernando Duarte (PP) apresentou emenda para baixar para R$ 6 mil, mas a proposta foi derrotada por 7 votos a 3.

Cavaleiros do apocalipse… erraram feio ao propagar que Ramon faria reforma “para inglês ver”. Uma meia dúzia afirmava que o prefeito não iria diminuir os gastos públicos e apontava a gestão 2017-2020 como “inchada” de comissionados e que Biguaçu seria “terra arrasada”. Análises infantis feitas ainda sob sentimento raivoso da derrota de 2 de outubro. A medida tomada pelo gestor municipal e aprovada pelo Poder Legislativo tapa a boca de tais perdedores.

Vigilância no cofre – Após a reformulação que vai dar uma aliviada nos cofres municipais, o prefeito deverá manter as contas públicas sob rédea curta para enfrentar a crise econômica – que se estenderá durante 2017. Nos últimos dois anos, Wollinger precisou fazer gestão para pagar as despesas municipais, ao tempo em que a receita tinha queda brusca. O calejamento de 2015 e 2016 certamente o fará ficar de olho nas planinhas.

Secretariado – Os prefeitos de Biguaçu, Antônio Carlos e Governador Celso Ramos estão nos últimos detalhes para definir seus secretários para a gestão 2017-2020. Os nomes devem ser anunciados esta semana – ou no mais tardar no começo da semana que vem.

Limpou as gavetas – O vereador José Braz da Silveira (PSDB) entregou de forma simbólica ao presidente da Câmara, Vilson Norberto Alves (PP), durante a sessão extraordinária desta terça-feira (27), as chaves de seu gabinete. O tucano não concorreu à reeleição em outubro passado e encerra mais um ciclo na vereança. Em 1988 ele foi eleito vereador e se reelegeu em 1992. No ano de 2008 foi eleito para o terceiro mandato e, em 2012, reeleito.

*Alexandre Alves é jornalista, editor da Coluna Entrelinhas e do Biguá News

Publicidade