Corpo de Bombeiros Militar mobiliza Força-Tarefa no Vale do Itajaí

Publicidade

Com as atenções concentradas na região do Alto Vale do Itajaí desde a sexta-feira (16), devido às cheias do rio Itajaí-Açu, a Força-Tarefa Estadual do Corpo de Bombeiros Militar (CBMSC) permanece mobilizada em Rio do Sul, informa a assessoria.

Continua após a publicidade

O quartel local passou a contar com o reforço de Bombeiros Militares e Comunitários, convocados para permanecer à disposição, além da Força-Tarefa 05 (Lages), com dois veículos com tração 4×4 e duas embarcações extras, e o Auto Posto de Comando (ônibus). Na manhã deste sábado, 17, o Arcanjo-03, sediado em Blumenau, deslocou-se para o local da operação.

O comandante do Batalhão de Operações Aéreas, tenente coronel BM João Batista, explica que além dos resgates usuais das situações de enxurrada e do transporte de pacientes graves às unidades de saúde, também é um serviço aéreo comum nestas situações, em razão dos acessos por terra eventualmente ficarem prejudicados por queda de barreiras e água na pista.

Em visita à estrutura do Auto Posto de Comando, o prefeito municipal, Garibaldi Antônio Ayroso, parabenizou a atuação do Corpo de Bombeiros Militar no quesito resposta a desastres e o comprometimento institucional da corporação, que tem sido importante por antecipar o atendimento de possíveis ocorrências trazendo segurança e tranquilidade para à comunidade.

Ocorrências

Em Rio do Sul pessoas que estavam ilhadas foram reitradas e na região foi prestado auxílio com relação à queda de barreiras e a árvores caídas em via pública e apoio à Defesa Civil.

De acordo com o comandante local, capitão BM Davi Pereira de Souza, nas últimas horas o nível do rio diminiu. O oficial complementa que já foram repassadas orientações sobre desocupação às pessoas que residem ou possuem empresas em áreas de risco. Os bairros atingidos são Bela Aliança, Taboão, Canoas, Barragem, Santa Rita e Bremer.

Apesar do cenário, o capitão BM Davi esclarece que a preparação tem caráter preventivo e que a tendência é que a situação volte a normalidade.

Publicidade