CPI na Câmara de Biguaçu para investigar Salete Cardoso ouve secretária de Assistência Social

Publicidade

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Câmara de Biguaçu para investigar possíveis supostos atos irregulares atrelados à vereadora Salete Orlandina Cardoso (PL), no que diz respeito às investigações da “Operação Co-Incidência”, ouviu, nesta quinta-feira (22), mais uma convocada, a secretária municipal de Assistência Social e Habitação, Ana Cristina Espíndola.

CPI da Câmara de Biguaçu ouve mais uma depoente – 9Foto: Beatriz Guesser)

Os trabalhos se voltaram para buscar esclarecimentos sobre a rotina e horário de trabalho e Salete na secretaria, funcionamento do ponto eletrônico na pasta, possíveis faltas e existência de justificativas, regime adotado durante a pandemia, cumprimento da jornada e horário de expediente e ainda possíveis atos de insubordinação.  

Continua após a publicidade

Leia também:

Ex-secretário indicado por Salete não relatou 223 faltas dela ao local de trabalho

Com 223 faltas injustificadas, Salete pode perder emprego na Prefeitura e mandato na Câmara

Participaram das oitivas o presidente da Comissão, Laudemir Clóvis Pastorello; o secretário, Manoel José de Andrade; e também os vereadores Cristyan Silveira Prazeres, Douglas Fernandes de Souza, Fernando Duarte, Israel Gaspar, Luan de Souza Pereira, Lucas Rosa Vieira, Rodrigo Cesar Ocker e Sandro Andrade. Ainda estiveram presentes o presidente da Câmara, Ednei Muller Coelho; e o procurador-geral do Legislativo, Daniel César da Luz.

As audiências estão sendo transmitidas ao vivo e os vídeos estão disponibilizados no canal da Casa, no youtube.com/cmbigua.

A Operação Co-Incidência, desencadeada pela Polícia Civil em dezembro de 2020, apura a existência de crimes contra a administração pública. A operação vem sendo conduzida em sigilo pela Delegacia de Biguaçu.

Publicidade