Desfile de abertura da Oktoberfest reúne mais de três mil pessoas

Publicidade

O som alto das músicas alemãs e atrações como o Bierwagen (Carro da Cerveja) voltaram a arrastar uma multidão pela Rua XV de Novembro, para o desfile que abriu a 32ª Oktoberfest, na noite desta quarta-feira (7), em Blumenau. “É um evento que promove o nosso Estado e fortalece toda a cadeia econômica. Eu gosto muito de ver a comunidade participando. Aqui estão cidadãos de Blumenau, que desfilam e fazem essa festa acontecer”, afirmou o governador Raimundo Colombo.

Segundo a prefeitura, o desfile reuniu 3,3 mil pessoas que fizeram parte de 96 atrações. Entre as novidades deste ano, estão o Entestrassenbahn, o Carro do Pato, e o Cucawagen (Carro da Cuca). Os dois grupos foram selecionados através do concurso promovido este ano, que visa oportunizar novas vagas todos os anos para quem deseja desfilar na rua.

Continua após a publicidade

Segundo os organizadores, esta é considerada uma das festas mais populares do Brasil e a maior festa alemã das Américas. A versão catarinense é inspirada na Oktoberfest de Munique, na Alemanha, e reúne turistas de diversas cidades do Brasil e do exterior. “É uma oportunidade para os turistas conhecerem as tradições germânicas, mas também para os blumenauenses reafirmarem a cultura local e suas origens”, afirmou o secretário regional Cassio Quadros.

Para o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Vinicius Renê Lummertz Silva, Blumenau tem um peso extremamente importante para o turismo brasileiro. “A Oktoberfest de Blumenau é um exemplo histórico desde o tempo em que era realizado na Proeb. Tem tradição, força e também futuro, pois possui uma base forte”, disse.

A festa nacional dura mais de duas semanas – entre os dias 7 e 25 de outubro – e soma mais de 450 horas de música. Para os blumenauenses, representa a cultura e os valores preservados desde 1850, quando chegaram os primeiros colonizadores alemães no Vale do Itajaí.

No Parque Vila Germânica, o visitante encontra música, chope, espaços culturais para a apresentação de grupos folclóricos, praça para crianças e a gastronomia típica alemã. Ingredientes como carne de marreco, linguiça, joelho e vitela de porco e salsichas, dão nome a pratos como Eisbein, Kassler, Bratwurst, Currywurst, entre outros. A programação completa da Oktoberfest 2015 está disponível no site da Oktoberfest.

Aquecimento da economia

No ano passado, a festa reuniu 458,5 mil pessoas e vendeu 573 mil litros de chope. Mas nem só a Rua XV de Novembro e o Parque Vila Germânica entram no clima da festa durante a Oktoberfest. As lojas são enfeitadas e as ruas da cidade são decoradas. Segundo o prefeito Napoleão Bernardes, 32 setores são beneficiados com o evento: “a festa traz emprego e renda e gera oportunidade a empreendedores. Os reflexos não são sentidos apenas durante o evento. A boa imagem e o valor agregado da festa reforça produzem efeitos significativos para o município o ano todo”.

O comércio e o setor de hotelaria também sentem os reflexos. Segundo o presidente do Sindicato Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Blumenau – Sihorbs, Emil Chartouni Neto, a ocupação da rede hoteleira da cidade deve atingir 100% nos finais de semana e até 75% nos dias de semana até o final da festa. “Nós ainda estamos esperando os hóspedes que não fizeram reservas. O aumento do dólar fará com que muita gente mude o destino de sua viagem e venha a Blumenau”, afirma Emil. Ele reforça que não só o município sai ganhando com o evento. A cidade tem 4.350 leitos, mas que este número chega a 30 mil num raio de 60km de Blumenau, refletindo em ocupação turística em lugares como Balnerário Camboriú.

Setor gastronômico

As cervejarias também comemoram a vinda de turistas e a grande quantidade de litros de chope que são consumidos em 19 dias. Nesta edição da Oktoberfest, participam  a Eisenbahn (cervejaria oficial), Baden Baden, Schin, Bierland, Container, Das Bier e Wunder Bier. Para quem quer provar comidas típicas, a festa conta com 67 opções, dentre os quais 27 são novidade, como é o caso dos pratos à base de peixe e frango. Ao todo, são 19 pontos gastronômicos.

A história começou há quase 200 anos na Baviera

A Oktoberfest de Blumenau, que em apenas uma década se tornou uma das festas mais populares do Brasil, foi inspirada na festa alemã, que teve origem em 1810 em Munique. Tudo começou em 12 de outubro de 1810, quando o Rei Luis I, mais tarde Rei da Baviera, casou-se com a Princesa Tereza da Saxônia e para festejar o enlace, organizou uma corrida de cavalos. O sucesso foi tanto, que a festa passou a ser realizada todos os anos com a participação do povo da região. Em homenagem à princesa, o local foi batizado com o nome de Gramado de Tereza. A festa ganhou uma nova dimensão em 1840, quando chegou a Munique o primeiro trem transportando visitantes para o evento. Passaram a ser montadas barracas e promovidas várias atrações.

Neste local apareceram também os primeiros fotógrafos alemães, que ali encontraram um excelente ambiente para fazerem suas exposições. A cerveja, proibida desde os primeiros anos, só começaria a ser servida em 1918. Logo depois, os caricaturistas já retratavam a luta pelos copos cheios de cerveja e pela primeira vez pode-se apreciar nas telas dos cinemas a festa das mil atrações. Por consequência das guerras e pela epidemia de cólera, a Oktoberfest deixou de realizar-se 25 vezes. De 1945 até hoje, aconteceu ininterruptamente. Atualmente, a Oktoberfest de Munique recebe anualmente um público de quase dez milhões de pessoas.

A maior festa alemã do Brasil

A Oktoberfest teve sua primeira edição em 1984. Em apenas dez dias de festa, 102 mil pessoas foram ao antigo Pavilhão A da Proeb, número que na ocasião representava mais da metade da população da cidade. O consumo de chope foi de quase um litro por pessoa. No ano seguinte, a festa despertou o interesse de comunidades vizinhas e de outras cidades do país. O evento passou então a ser realizado em dois pavilhões.

O sucesso da Oktoberfest consolidou-se na terceira edição. Tornaram-se necessárias a construção de mais um pavilhão e a utilização do ginásio de esportes Sebastião da Cruz – o Galegão – para abrigar os turistas vindos de várias partes do Brasil, principalmente da região Sudeste, e também de países vizinhos. O evento acabou fazendo de Blumenau o principal destino turístico de Santa Catarina no mês de outubro, reverenciando o folclore, a memória e a tradição.

A informação é da assessoria.

Publicidade