Juiz decreta prisão de policiais que torturaram família em Biguaçu

Publicidade

Colombo de Souza / Notícias do Dia – O juiz da Unidade de Apuração de Crimes Praticados por Organização Criminosa da Grande Florianópolis, Renato Guilherme Gomes da Cunha, decretou a prisão preventiva dos policiais civis Fabio Carminatti da Silva e Isaias Oliveira da Silva, acusados de torturar uma família em Biguaçu, na noite de 5 de novembro. A medida cautelar foi cumprida na noite de ontem (16).

Fabio, que tentou suicídio dois dias depois, continua internado no Instituto São José Centro de Psiquiatria e Dependência Química, e foi considerado incapaz de assinar o mandado de prisão. Já Isaias se apresentou para o delegado Manoel Galeno, na Divisão de Investigação Criminal, no início da noite desta quarta, onde estava lotado. A apresentação dele foi acompanhada por seu advogado Handerson Laerte Martins.

Continua após a publicidade

Assim que soube da ordem de prisão, o advogado telefonou para o cliente e o aguardou em seu escritório. “A decisão de se apresentar foi estritamente dele”, ressaltou o defensor.  O advogado comentou que, na semana passada, havia impetrado um habeas corpus preventivo para evitar a prisão, mas não obteve êxito.

Policiais civis que agrediram família em Biguaçu são afastados

O delegado de Biguaçu, Alan José de Amorim – que está presidindo o inquérito policial -, não fala sobre as diligências.  No início da tarde de ontem, ele esteve no Fórum, mas não confirmou se para obter o mandado de prisão. “Sobre este caso não falo. Não falei desde o início e não vou falar agora”, disse.

Após prestar informações ao delegado que preside o inquérito, Isaias foi conduzido para o complexo penitenciário de Florianópolis, onde está à disposição da Justiça.

A informação é do Notícias do Dia.

Publicidade