Petistas já estudam estratégias para evitar eventual prisão de Lula

Publicidade
Foto: Givaldo Barbosa/Agência O Globo

Gerson Camarotti/G1 – Temendo o pior cenário – o de que será decretada a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região –, o PT já estuda uma saída jurídica para neutralizar a execução da pena na segunda instância, informa o repórter Nilson Klava, da GloboNews.

Está em análise a possibilidade de a defesa de Lula apresentar um pedido de habeas corpus preventivo no Supremo Tribunal Federal (STF) depois do julgamento do recurso do embargo de declaração pela segunda instância.

Continua após a publicidade

Os petistas estão preocupados com o impacto político de uma eventual prisão de Lula e, por isso, querem fazer um movimento antecipado. Alguns ministros do STF contrários à execução da pena a partir de condenação em segunda instância já sinalizam que podem acatar o pedido do PT.

Existe uma ação na Corte que pode rever esse entendimento, estabelecido em 2016 em duas votações: em fevereiro, por 7 votos a 4; e em outubro, por 6 votos a 5.

A ação já foi liberada pelo ministro relator, Marco Aurélio Melo, para análise do plenário. Há uma pressão de parte dos ministros do Supremo para que a presidente da Casa, Cármen Lúcia, coloque a matéria na pauta.

Essa revisão da interpretação do Supremo sobre prisão a partir da segunda instância é aguardada por petistas que acreditam que a eventual prisão de Lula colocaria por água abaixo a estratégia do partido de usar a pré-campanha de Lula para alavancar a candidatura de Fernando Haddad, nome considerado o “plano B” do PT.

Publicidade